Parques nacionais têm turismo selvagem e ético na África do Sul

A Africa do Sul  é um dos roteiros turísticos  mais incríveis para conhecer e entrar em contato com animais e com a vida selvagem.  Ao pensar em vida selvagem devemos ter uma abordagem ética. Não devemos domesticar a natureza de um animal selvagem. Ao domesticá-lo, o animal é retirado  do seu habitat,  da sua família, e pior, são domesticados à chicotadas. Estes animais selvagens desempenham um papel fundamental na cadeia ecológica para a manutenção de todo o ecossistema das florestas e savanas africanas.

e3374897-02b5-4abe-b3f6-1ee07288e4a9
Elefantes do Addo Park – Africa do Sul foto: Ana Paula Chittó

Ao invés do turista escolher um turismo do estilo “fazer carinho em leão”  ou “passear sobre elefantes“, deve priorizar os passeios nos safaris em Parques nacionais como Kruger ou  os safaris oceânicos, onde os animais estão em estado selvagem de verdade. O assassinato trágico da onça da tocha olímpica somente demonstra o quão equivado é tentar domesticar animais selvagens retirando-os do seu ambiente natural.

elefante 2
Elefantes no  Addo Elephant Park na Africa do Sul – foto: Ana Paula Chittó

A Africa do Sul é um lugar muito procurado pelos turistas que querem conhecer os “Big 5” – 5 Grandes.  Big Five se refere aos cinco mamíferos selvagens de grande porte mais difíceis de serem caçados pelo homem na Africa como o leão, o elefante, o rinoceronte, o búfalo e o leopardo. A expressão também é usada nos safáris de observação pelos guias locais quando se referem à fauna selvagem da região da savana.

leao
Leão selvagem em parque de Safari na Africa do Sul – foto: Ana Paula Chittó

Os passeios que estimulam acariciar leões bebes e  levar leõas para passear, incentivam no fundo um ciclo de crueldade. Estes animais tornam-se adultos, e acabam sendo abatidos por caçadores atrás de famosos troféus e seus ossos vendidos ao mercado Asiático. O mesmo vale para escolhas como passear em cima de elefantes, outra indústria da crueldade onde o animal ainda bebê é retirado de sua mãe, é tratado a chicotadas para ser domesticado, além de passar a vida acorrentado.

IMG_3290_20160623_230231
Zebras em safari na Africa do Sul foto: Ana Paula Chittó

Animais selvagens tem que ser apreciados dentro de parques nacionais onde a vida selvagem acontece na sua íntegra, respeitando o fato de que leões e elefantes fazem parte das florestas e savanas africanas e têm seu papel fundamental na cadeia ecológica. A população destes grandes selvagens vem diminuindo ao longo dos anos  e muitos estão ameaçados de extinção.

elefante 5
Elefantes em safari na Africa do Sul foto: Ana Paula Chittó

Ótimos parques na Africa do Sul são o Kruger National Park perto de Johanasburg. A estrada denominada de Garden Route, perto de Porto Elizabeth, a costa do sol, possui praias paradisíacas e vinhedos. É um destino seguro e tem ótimas Games Reserves (Reservas Nacionais), além do Addo Elephant National Park, o único Park dos Big 7.  Big 7 refere-se ao 7 maiores animais incluindo os animais marinhos como a baleia e o tubarão. Este é o Safari oceânico, onde pode-se ver os 7 maiores animais selvagens nesta costa. É uma excelente aventura e ainda pode-se ver a migração das sardinhas, um evento épico da vida selvagem.

Africa do Sul foto: Ana Paula Chittó
Hipopótamus na Africa do Sul foto: Ana Paula Chittó

Visitar Parques Nacionais, além de ser uma escolha eticamente correta, contribui para a preservação de florestas e para a proteção de espécimes ameaçadas.

IMG_3242_20160623_230216
Búfalo selvagem – foto : Ana Paula Chittó

Uma dica de preservação da vida selvagem valiosa: quando publicar as fotos nas redes sociais da sua visita nestes Parques nacionais e reservas na Africa, desligue o GPS do celular e não publique no Instagran. Porque quando as pessoas encontram rinocerontes com presas, elefantes com a presa, elefantes selvagens e publicam nas redes sociais,  os caçadores de marfim e os caçadores de chifres rastreiam as fotos nas redes sociais e estes animais viram alvo destes caçadores ilegais.  O chifre de marfim está valendo mais que a grama do ouro, então os caçadores ilegais perseguem estes animais selvagens.

elefante 4
Addo Elephant park na Africa do Sul foto: Ana Paula Chittó

Os bichos mais perigosos e que matam gente são o búfalo e hipopótamo porque são os mais agressivos apesar da aparência fofa. São muito perigosos porque são territorialistas.

Africa do Sul foto: Ana Paula Chittó
Girafa em parque na Africa do Sul foto: Ana Paula Chittó

Um evento recém ocorrido nos leva a questionar como devemos nos relacionar com o mundo selvagem. O triste episódio da onça-pintada assassinada no Evento da tocha Olimpica das Olimpíadas no Rio de Janeiro demonstra o desrespeito em relação a natureza selvagem do animal. Além disto, colocou em risco a segurança das pessoas que estavam no evento.

Entre nos links dos Parques e faça seu próprio Safari:

https://www.sanparks.org/

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *