Todos os posts de helenaschanzer

5 dicas para turbinar as plantas do jardim

Vou dar 5 dicas de expert para cultivar as plantas:

1. A planta cresce e o tamanho do vaso deve acompanhar o crescimento:

O espaço que a planta ocupa acima do solo é praticamente o mesmo que as raízes ocupam abaixo da terra. Tenha isto em mente quando for comprar um vaso para sua planta. Quando a planta estiver com a copa dela bem cheia e  voce observar que ela começa a perder um pouco o vigor e a vitalidade é o momento de oferecer mais espaço para as raízes se desenvolverem e também de renovar o solo com nutrientes: troque a planta para um vaso maior com terra nova.

parsley-5766_1280
Raízes crescem proporcionalmente à parte aérea da planta foto: Pixabay

2. As plantas costumam crescer verticalmente, então quando queremos que elas “encham” e cresçam no sentido lateral, temos que podar alguns centímetros as pontas dos galhos. Isto faz com que ela se bifurque e rebrote mais. Veja na foto:

poda
rebrotes laterais

3.  Ao plantar, aperte a muda contra a terra para dar o máximo de aderência das raízes ao solo. Não deve ficar espaço de ar entre as raízes da planta e a terra porque isto causa o ressecamento da raíz e dificulta o pegamento da muda nova. Esta dica é muito importante! Em mudas de hortícolas esta dica é fundamental.

aperte a muda
aperte a muda

4. A camada de drenagem do vaso é muito importante porque a água da rega em excesso deve escoar perfeitamente para não causar o apodrecimento das raízes. Use galhos e folhas secas para fazer a camada de drenagem do vaso.

Drenagem do vaso com galho e folhas secas foto: Helena Schanzer

5. Na composteira: se aparecerem bichos e insetos indesejáveis, tente alterar o PH  da pilha do composto adicionando um pouco de calcário. Isto altera a população de microrganismos e diminui o cheiro de decomposição. Mantenha a composteira com tampa ou alguma cobertura para evitar que as moscas se multipliquem ali.

calcario
Calcário

Veja como plantar

Porque as plantas são importantes

 

 

Workshop de plantio de Microgreens na Floricultura Winge

Você quer aprender a cultivar Microgreens para comer na sua casa ou apartamento?   Microgreens são vegetais em seu segundo estágio de vida, no período entre 7 a 14 dias após a germinação, momento com maior intensidade de sabor e densidade de nutrientes.

Vou ensinar os cuidados básicos para que suas plantas cresçam saudáveis, como plantar e quais plantas adequadas.

Inscrições pelo WhatsApp: 51-999 674757

Workshop de plantio de Microgreens dia 17 de agosto

Porque é bom plantar espécies nativas

Se você quer cultivar uma planta resistente, bem adaptada ao clima regional e que atrai a avifauna local, então escolha uma espécie vegetal nativa. A planta nativa incrementa a biodiversidade do local porque está integrada ao ecossitema natural. Ter diversidade de espécies nativas de vegetação, atrai diferentes espécies de pássaros, borboletas, a fauna, além de incrementar a microvida do solo.

brazilian-plume-952942_1920
Herbácea nativa com flor rosa, Justicia foto: Pixabay
Ruelia azul- flor nativa em vaso foto: Helena Schanzer
Ruelia azul- flor nativa em vaso foto: Helena Schanzer

As espécies nativas são menos exigentes em cuidados de manutenção. Não precisam ser regadas com frequência, não são atacadas por pragas e doenças e não precisam ser adubadas com frequencia.

Uma das plantas nativas preferidas por mim é o Abutilon megapotamicum, lanterninha -do-japão. É uma planta semi-arbustiva com ramos pendentes, que pode ser usada em floreiras e também conduzida como trepadeira. A flor é linda:

Abutilon megapotamicum – lanterninha-do-japão

A Salvia guaranítica é arbusto nativo que atrai muitos beija-flores e tem uma flor rosa linda!

O brinco de princesa tem flores rosa lindas:

Sabia que existem vários tipos de manjericão?

Na horta experimental da Isla Sementes são cultivadas  diversas variedades de manjericão usadas na gastronomia. Você também pode cultivar todos os tipos de manjericão em casa, inclusive em vasos e floreiras. O básico para o manjericão crescer é receber sol. Cada uma das variedade de manjericão agrega um sabor peculiar na comida e na salada.

cultivo de manjericão
Cultivo de manjericão Foto: Helena Schanzer

Existem sementes de 7 variedades de manjericão (Ocimum basilicum): Limoncino, Grecco a palla, alafavaca basilicão, alfavaca basilicão vermelho, manjericão toscano folha-de-alface ( porque a folha é grande), Gennaro de menta e o alfavaca vermelho rubi.  A diferença entre os sabores de cada espécie, acredite, são grandes!  O manjericão Limoncino tem aroma de limão, a alfavaca rubi tem um sabor exótico que não dá para explicar, o outro manjericão tem um toque de menta.

manjericão alfavaca rubi
Cultivo de manjericão alfavaca rubi Foto: Helena Schanzer

Reparem no uso de mulching ou cobertura morta para proteção entre os canteiros e o uso de plasticultura nos canteiros, tudo isto para evitar o crescimento do inço e melhorar a proteção e drenagem do solo.

Para saber como cultivar manjericão veja este link AQUI

manjericão genaro
Cultivo de manjericão Limoncino   Foto: Helena Schanzer

As sementes de manjericão da Isla são livres de agrotóxicos e as folhas podem ser usadas como Baby leaf ( folhas jovens). A planta do manjericão atinge entre 20 e 50 cm de altura conforme a variedade.

manjericão roxo
Cultivo de manjericão roxo , ou alfavaca basilicão vermelho Foto: Helena Schanzer
chefs e o uso dos manjericões
Chefs e o uso do manjericão    Foto: Helena Schanzer

O manjericão roxo tem um sabor sensacional e  provoca uma explosão de sabores quando combinando com as hortaliças certas como por exemplo, o tomate. Variedades de tomate adocicadas ficam ainda mais saborosas.

Como usar o manjericão na culinária:

1. Use-o ao natural ( fresco) em saladas, vinagretes, molho-pesto, licores, doces e sucos.

2. Prepare sorvete de manjericão ( super exótico) adicionando uma xícara de folhas de manjericão fresco em um litro de sorvete de creme. Bata no liquidificador o sorvete de creme com o manjericão e coloque no congelador até gelar.

3. Use o manjericão cozido ao adicioná-lo nos molhos de tomate, pizzas, ensopados e outras receitas.

 

Renner investe em refeitório com paisagismo

A reforma do refeitório e da recepção do prédio da sede administrativa da Renner transformou a área. As paredes do antigo refeitório foram todas derrubadas e substituídas por grandes painéis de vidros que permitem a entrada da luz natural. Para tirar partido disto, ao longo dos painéis foram criados canteiros com vegetação, criando-se um ambiente acolhedor. Acompanhem aqui o antes e o depois desta metamorfose do espaço.

Jardins no acesso para o refeitório da empresa

O refeitório da empresa Renner recebe mais de 1.300 pessoas entre funcionários e colaboradores para as refeições diariamente.

jardim após 5 meses de implantação – Heliconias com flores

 

Flores nativas com a Heliconia enfeitam o jardim e atraem beija-flores

A reforma do refeitório foi projetada pelo escritório R4 Design. Este projeto foi liderado pelo arquiteto Marlon Braga, da R4 Design em parceria com a equipe da Renner, coordenada pela arquiteta Alessandra Shargorodsky  e arquiteta Fabiana Merino Lemos. A Prandix Construções, de São Paulo foi a empresa que executou a reforma do refeitório e da recepção da sede administrativa, obra coordenada pelo Arq. Renan Nunes com gerenciamento do Arq. Lucas Russi e Eng. Vinicius Fraga de Souza da Renner. O projeto de paisagismo para criação dos jardins  foi realizado pelo escritório da paisagista que escreve este Blog, bem como a administração e acompanhamento técnico da implantação dos jardins também.

jardins com banco
Bancos nos jardins para os colaboradores Foto: Helena Schanzer

Boa parte do jardim da fachada não recebe luz solar direta, mas a luminosidade é boa. Pensando nisto, selecionei plantas de meia sombra como a clusia, heliconias, liriopsis e grama-preta, todas  adaptadas a locais onde não pega sol. As plantas são da floricultura Blumengarten que forneceu plantas lindas e saudáveis. Para implantação do jardim contei com a parceria da Ponto Verde do eng. agrônomo Luis Márcio Viuniski.

Jardins da sede da Renner jardins e foto by Helena Schanzer
Jardins da sede da Renner jardins e foto by Helena Schanzer

Foi criado um espaço ao ar livre junto ao refeitório para os colaboradores almoçarem no jardim e ali criamos um jardim vertical com muitas orquídeas e temperos. As orquídeas nativas enfeitam e florescem quase o ano todo sem precisar de muitos cuidados.

jardim e orquideas
Jardim vertical com manjericão e orquídeas  Foto: Helena Schanzer

Veja tudo sobre o JARDM VERTICAL  DO REFEITÓRIO DA RENNER

orquideas terrestres
Orquídeas terrestres no jardim Foto: Helena Schanzer

Acompanhe aqui o antes e o depois:

 

 

Banco SICREDI

Em 2004 os arquitetos Carlos Morganti e Milton Campos me contataram para desenvolver em parceria com eles o projeto de paisagismo para a sede administrativa do Sicredi na Av. Assis Brasil em Porto Alegre. Criamos uma área de mais de 2 mil m2 de jardim sobre a laje de concreto do estacionamento do prédio.

Palmeira fênix foto: Eneida Serrano
Palmeira fênix foto: Eneida Serrano
Fenix no Sicredi foto: Eneida Serrano
Fenix no Sicredi foto: Eneida Serrano

 

O Centro Administrativo Sicredi em Porto Alegre é a primeira edificação já existente a obter  a certificação LEED no Brasil e é a quarta obtida na América Latina na categoria Platinum em 2016. E nós participamos deste processo deixando o paisagismo mais sustentável e mais econômico no uso da água.

Saiba mais sobre o projeto de sustentabilidade no Sicredi no meu Blog Jardim de Helena.

 

 

Jardim residencial amplia a área de vegetação usando paredes verdes

Acompanhe este projeto de paisagismo em uma casa que foi reformada.

Jardim pronto! muitas ervas aromáticas, temperos e flores
Jardim vertical em parede de sauna residencial

Equipe:  Parceria com Ismael Stimamiglio, arq. Alexandre Bento; arq. Bernardo Lins da Silveira , Alex Toco, Valdir, Guto Rodrigues.

Passo a passo desde a execução dos blocos e plantio do jardim vertical:

 

 

 

 

Saiba o que é alimentação viva e onde encontrá-la

Cuidar da alimentação é a base de uma boa saúde e de qualidade de vida. Uma tendência mundial é a comida viva porque preserva os nutrientes do alimento na medida que os vegetais são usados crus/vivos. Conheça a Urban Farmcy que traz esta proposta inovadora para Porto Alegre. Eles querem provar que a alimentação viva é rica em sabor, em saúde, muito nutritiva e vibrante.

Couve variedade Kale  cultivada em estufa   foto: Emmanuel Denauí
Couve- variedade Kale – cultivada em estufa Foto: Emmanuel Denauí

Estive lá para conhecer e me surpreendi. A idéia dos sócios da Urban Farmcy Tobias Chanan, Bernardo Spilari, Luis Felipe Carchedi e Thiago Loth é que seja uma marca de alimentação que abranja toda cadeia alimentícia, desde o restaurante até o cultivo dos alimentos. Não são usados produtos de origem animal, somente o mel, o pólen de abelha e o ovo, que está em um dos pratos do cardápio. A preocupação com a alimentação busca alimentos puros. Não somente os orgânicos, como vegetais cultivados hidroponicamente e que não recebam agrotóxicos durante o cultivo. Os hidropônicos não são considerados orgânicos mas podem ser tão limpos quanto. Atualmente, cerca de 70% do mix de ingredientes da Urban Farmcy é puro.

módulos estufa de cultivo
Módulo de estufa de cultivo Foto: Emmanuel Denauí – Divulgação

A missão da marca é redefinir o futuro da alimentação, através de um modelo que irá proporcionar escolhas que gerem impacto positivo social, econômico e ambiental. Para isso, a proposta abrange as duas extremidades da cadeia: o cultivo e o consumo, Farm to Mouth. De um lado, a Urban Farmcy desenvolve módulos de produção indoor de alimentos que, futuramente, darão origem a uma rede coletiva, hiperlocal e urbana de fornecimento de vegetais. Na outra ponta, o restaurante busca diminuir o gap existente entre a culinária artística e o que há de mais atual em saúde, nutrição e consciência ambiental.

patio da Urban farmcy
Pátio da Urban Farmcy Foto: Helena Schanzer

Uma das espécies cultivadas nas estufas é a Kale: uma espécie de couve Crespa, símbolo mundial do superfood por ser rica em fitonutrientes e antioxidantes. Hoje utilizam  sementes importadas da Holanda para plantar nos módulos dentro da Casa Urban, de forma hiperlocal.  Além da Kale, também plantam Microgreens de Beterraba, Rúcula, Girassol e Grama de Trigo (Wheatgrass – que extraem a clorofila para fazer sucos). Microgreens são vegetais em seu segundo estágio de vida, no período entre 7 a 14 dias após a germinação, momento com maior intensidade de sabor e densidade de nutrientes.  Devido à curta distância entre o local onde o alimento é cultivado e consumido, pode-se colher os vegetais momentos antes de serem consumidos, o que faz com que os mesmos permaneçam vivos até a hora de serem ingeridos, garantindo maior frescor, textura, sabor e nutrientes.

Módulos estufa de cultivo foto: Emmanuel Denauí
Microgreens na estufa de cultivo foto: Emmanuel Denauí

Com alta concentração de clorofila o wheatgrass, ou grama de trigo, foi escolhido para ser cultivado nas fazendas urbanas da Urban farmcy. Ele é um excelente alcalinizante,  responsável por auxiliar na desintoxicação do organismo, e na melhora do sistema imunológico. Além disso, também é rico em vitaminas e sais minerais. A Urban está desenvolvendo módulos automatizados para o cultivo de vegetais. Com essa tecnologia, querem criar uma rede de produção e fornecimento hiperlocal (urbano) de alimentos. Os módulos estão sendo criados para que possam ser levados para dentro das casas das pessoas. Assim,  qualquer um pode fazer parte da rede de microfazendeiros urbanos da Urban Farmcy e ser remunerado por isso.

Módulos estufa de cultivo foto: Emmanuel Denauí
Módulos estufa de cultivo foto: Emmanuel Denauí

Os “Urban farmers” não usam agrotóxicos. Os alimentos devem ser limpos e puros. Não são orgânicos pois o processo de cultivo é hidropônico. Não utilizam solo, na água colocam os nutrientes minerais, oriundos de rochas, que através da água da irrigação são levados às plantas.

Vantagens deste sistema de cultivo:

-A água é recirculada evitando desperdícios;
-Sem o transporte por longas distâncias reduz-se o consumo de combustíveis e emissão de carbono;
-Produção 365 dias por ano, não há influência do clima. Deste modo não há perda da produção por excesso de chuva, granizo, ventos, etc.
-Alimentos puros: sem utilização de agrotóxicos.
-Através da hidroponia, é  possível ter precisão no fornecimento de nutrientes para o vegetal, o que garante um crescimento saudável.

-Pode-se controlar a iluminação e as plantas recebem a quantidade de luz necessária por dia para poderem se desenvolver com excelência. De um modo geral, temos um ambiente controlado onde os elementos necessários para desenvolvimento do vegetal são entregues dependendo do estágio de vida e suas características próprias.

O restaurante

O restaurante do Urbam Farmcy tem as plantas como base e a técnica Raw como pilar. O cozimento em baixa temperatura é priorizado, até 46° C para manter o alimento vivo e nutritivo, sempre com muito sabor.  Deste modo, o alimento permanece vivo, nutritivo e saboroso desde o momento que é colhido até o momento que é consumido.

Casa da Urban Farmcy: Rua Hilário Ribeiro, 299 – Porto Alegre
Instagram: @urbanfarmcy
Facebook: /urbanfarmcy

VEJA MAIS:

Quer saber a diferença entre cultivo organico e hidroponico? Veja AQUI

Plantas transformam muro em jardim vertical, veja!

Conheça um jardim sustentável

Aprenda a reciclar seu lixo orgânico da cozinha e faça seu adubo

 Siga Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter