Arquivo da categoria: Bem estar e saúde com vegetação

Como atrair as crianças para atividades no jardim?

Em homenagem ao Dia das crianças dedico este post a elas!  Cada vez mais conectadas e grudadas nas telas desde bebês, como fazer para as crianças saírem para a rua? O contato com a natureza, o sol, o ar puro, as plantas e os animais é tão importante para a formação dos pequenos tanto do ponto de vista biológico-físico como para a saúde mental. As crianças podem até relutar para sair de casa, mas quando começam a plantar e mexer na terra,  elas  adoram.  Gostam de todas etapas: escolher  as plantas, preparar a terra, plantar e molhar. Invente atividades que elas mexam na terra, peguem as plantinhas na mão e reguem. Veja a seguir exemplos que deram certo.

Crianças plantando árvore nativa Foto: Helena Schanzer
Crianças plantando árvore nativa Foto: Helena Schanzer

Uma empresa de Triunfo realizou uma ação muito legal: no dia das crianças convocou os familiares a plantarem uma árvore nativa para cada família na área verde da sua sede. Na atividade, foram distribuídas fantasias para os pequenos e eles que tinham que plantar junto com os pais. Cada árvore ganhou o nome da família e foram feitos registros fotográficos para eternizar o momento. Olha a alegria dos pequenos na foto acima.

Cuidado com as plantas venenosas e as crianças, saiba mais em plantas venenosas.

criança plantando horta caseira
Criança plantando horta em sacada de apto. – salvia – Foto: Helena Schanzer

A Lezanfan  organizou uma atividade que envolveu crianças e plantio de horta em apartamento. Também incluiu aula de ioga com as meninas no final do plantio. Foi uma tarde incrível que participei  ajudando a plantar.  Saiba mais em ” Meninas engajadas: plantando horta e temperos na sacada e fazendo ioga”.

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

Sabia que o jardim pode curar as pessoas e o ambiente? Conheça o paisagismo regenerativo

A natureza exerce grande influencia sobre as pessoas e sobre as cidades. Basta ver esta  chuva incessante como altera totalmente o ritmo da nossa vida. O transito fica caótico, muda o humor, as casas ficam úmidas, a saúde também é influenciada. O ser humano está totalmente conectado  com a natureza, depende dela para viver.  Quanto mais o ser humano se afasta dela, perde qualidade de vida. Assim como as cidades, quando desprovidas do “verde” e da natureza também vão ficando “doentes”, poluídas, excessivamente pavimentadas, sem áreas verdes para os seus habitantes e sem lugares para convívio social.

Melhorar a paisagem e a saúde das pessoas será o tema do encontro de paisagismo regenerativo Jardins como cura da paisagem e das pessoas que acontecerá de 16 a 18 de outubro  em Nova Petrópolis. Será um evento para atualizar e despertar as pessoas em relação ao paisagismo regenerativo, um paisagismo que considera toda e qualquer forma de vida e suas interações.

jardim
Jardim e foto: Gabriela Pizzetti

Para saber mais sobre este assunto, conversei com a arquiteta paisagista Gabriela Hilgert Pizzetti, que é uma das organizadoras do encontro em Nova Petrópolis, junto com o Agronomo Toni Backes:

1.       O que significa paisagismo regenerativo?

É o paisagismo com um novo olhar. O olhar educado para perceber e enxergar a natureza que pensa junto com a gente. A natureza nos dá as dicas para um bom paisagismo, um menor impacto e uma maior interação. É uma ferramenta que os paisagistas podem usar a seu favor, para um planejamento mais eficiente e coerente no meio em que estão inseridos.

2.       Se  tenho uma área na cidade, por onde sugeres que se comece a regenerar ?

Pela mentalidade dos seus habitantes. A compreensão de que estamos em uma cidade e que ela deve funciona para organizar as necessidades urbanas de saneamento, alimentação, saúde, educação e conforto causando o mínimo de impacto é o início da regeneração. Através deste pensamento, mudamos hábitos, aplicamos melhor nosso capital  e podemos perceber  e reciclar de uma nova maneira a arquitetura e a engenharia.  A regeneração se dá em todos estes aspectos. E o paisagismo serve como o elo de ligação entre as pessoas e o ambiente construído.

3.       Que elementos são importantes para regenerar um ambiente degradado?

Observar e sentir o local onde estamos pisando. Imaginar como foi um dia e entender porque está assim agora. Lidar com as ações naturais e antrópicas. Entender as necessidades do ambiente, das pessoas, suas funções e expectativas. A simbiose entre o desejo humano e o desejo da natureza deve ser planejado de forma que se respeite ambos.

4.       O que terá no encontro?

O encontro é uma vivência, uma experiência. Nos preparamos para que cada pessoa da equipe, cada convidado e cada participante se sintam acolhidos pela nossa visão de mundo, que é a dos ensinamentos do ambiente natural. Se observarmos os acontecimentos, simbioses e adaptações da natureza, podemos trazer para o nosso dia-a-dia como forma de autoconhecimento e conhecimento para o nosso trabalho de paisagista.

Alguns exemplos da aplicação do paisagismo regenerativo – Fotos: Gabriela Pizzetti

CANTEIRO DE CHUVA: desenho de equipamentos e canteiros de modo a tornar o caminho da água pluvial mais eficiente. Neste caso, a água escorre pelo piso e, em vários pontos, entra nos canteiros pela quebra do meio-fio. Isso ajuda a irrigação e a diminuição da carga de água nos sistemas públicos pluviais.

estacionamento santa casa_canteiro de chuva_foto toni backes
estacionamento santa casa_canteiro de chuva – foto Toni Backes

BIOPISCINA: implantação de um lago com objetivo da criação de um novo ecossistema, retenção de águas, uso lúdico e de lazer, plantas aquáticas e peixes. Filtragem biológica e mecânica da água com elementos orgânicos, sem uso de produtos químicos nocivos.

biopiscina horta  redário  foto toni backes
biopiscina horta redário foto toni backes

JARDIM PLANETÁRIO: jardim inspirado nos conceitos de jardins naturalistas do paisagista francês Gilles Clement. Ele diz que o planeta é um grande jardim e que nós somos os habitantes-jardineiros, cuidando desses grandes biomas planetários. A Arq. Gabriela Hilgert Pizzetti criou o planeta de rosas, onde as pessoas podem entrar e se conectar com essa vida que pulsa no jardim, conforme podem ver na foto abaixo:jardim planetário 2

 

Para saber mais  e ver o programa e palestrantes do encontro,  olhe  o link:  www.paisagismoregenerativo.com.br

 

 

A primavera chegou, vamos para rua plantar

Hoje, dia 23 de setembro começa a primavera no hemisfério sul. Para mim, é a estação mais alegre do ano porque as flores começam a se abrir e as cores tomam conta da paisagem.  Este ano começou bem mais cedo o calor da primavera e todo o alvoroço da natureza. Esse é o dia do ano em que os dias e as noites possuem igual duração. A primavera  é o ressurgimento da vida e a melhor época do ano para plantar!

cherry-blossoms-222370_1280
Na primavera as flores e folhas brotam Foto: Pixabay

Eu considero esta  época ideal para plantar e organizar jardim.  Depois do inverno e das chuvas ( este ano está atípico com tantas chuvas, a primavera costuma ter clima fresco e seco) é hora de arrumar o jardim para aproveitar os dias quentes e logo, logo o verão. Inspire-se e comece a pensar nas plantas, no espaço verde que deseja ter para cultivar temperos, hortaliças, frutas e flores. Pense na qualidade de vida que gostaria de ter e lembre que a vegetação e a alimentação tem tudo a ver com isto.

plantando
A primavera é ótima para plantar Foto: Pixabay

eucalyptus-flower-777900_1280

sakura-816541_1280

 

bee-317371_1280
Os insetos polinizam as flores na primavera – Foto: Pixabay

 

Você já ouviu falar de PANC, plantas alimentícias não convencionais?

 

Uma amiga, Stela Maris Jawetz,  trabalha com alimentação saudável e funcional e queria ter as plantas por perto para usá-las nos workshops que ela ministra em sua casa.  Queria poder coletar as folhas frescas que ela utiliza no preparo dos pratos durante os cursos. Ela me mostrou as plantas que usa nos sucos verdes. Uma das folhas era da planta dente-de-leão que para mim era uma novidade.  Eu nunca tinha olhado o matinho chamado dente-de-leão com este olhos!

dandelion- dente de leão -PANC
Dente de -leão- PANC – Foto: Pixabay

O que acho interessante é que estas espécies são resistentes, se adaptam a qualquer tipo de solo, não precisam de adubação e nem controle de pragas e doenças. É fácil de obter sementes e pode-se fazer o cultivo orgânico das plantas não convencionais.

dandelion-dente de leão
Dente de leão- flores e folhas, planta melífera e comestível – Foto: Pixabay

Me encantei com estas idéias na hora! Então a Stela Maris me mostrou o livro que estava pesquisando e estudando no momento: Plantas Alimentícias Não Convencionais – PANC- no Brasil. O livro é da conhecida editora Plantarum, de autoria do  Harri Lorenzi e do Valdely Ferreira Kinupp.  Trata com riqueza de dados sobre várias espécies de plantas que crescem espontaneamente nos jardins, nos gramados e que podem ser usadas como alimentos. Já comecei a olhar o mato onde não corto o gramado há meses sob outro prisma!!  Que potencial de folhas e flores interessantes que tem ali.

Livro Panc (2)
Livro PANC – Foto: Helena Schanzer

Inclusive mostra receitas de como usar as folhas, os frutos, as flores de cada uma. O livro chegou ontem para minha alegria e a primeira coisa que fiz foi comparar as “ervas daninhas” do meu jardim com as fotos do livro. Descobri muitas plantas para usar na cozinha, nos sucos verdes e já fiz mudas para o jardim no apartamento da amiga Stela.

receitas PANC
Livro PANC -Receitas – Foto: Helena Schanzer

A Stela é formada em arquitetura. Mas seus caminhos a levaram para a alimentação, acabou se apaixonando pelo tema e estudando em cursos nacionais e internacionais de alimentação funcional e raw-food.  Para quem não sabe, raw-food é comida crua e viva, uma corrente de alimentação que privilegia o  uso de alimentos orgânicos,  que não vem de origem animal e não são refinados.  O cozimento se dá a baixas temperaturas para não perder os nutrientes.

 

Stela Maris desenvolve um trabalho com alimentação funcional, comida crua e viva.  Conforme ela explica: “a alimentação viva é geradora de vida, pois os alimentos vivos  como as frutas, as verduras cruas,  as sementes e os brotos absorvem a energia vital da natureza presentes no sol, na terra, na água. Assim, quando comemos estes alimentos,  aumentamos nossa vitalidade favorecendo a desintoxicação das células e dos tecidos. Isto ocorre porque estes alimentos contém enzimas que são substâncias vitais responsáveis pelas reações químicas que ocorrem nas células dos organismos vivos. Desta maneira, comer o alimento apropriado, seguindo as necessidades individuais de cada pessoa, é uma forma de extrair energia do nosso entorno de uma maneira harmoniosa e consciente”.

 

Para saber mais sobre o trabalho de alimentação saudável e funcional desenvolvido pela Stela Cozinha dá uma olhada nos links:

Instagram:  Stelacozinha
m.facebook.com/StelaCozinha

 

Passeio na floricultura favorece o contato com a natureza

Eu e um grupo de amigos aproveitamos o domingo ensolarado e fomos passear na floricultura. A floricultura estava lotada. Famílias, jovens, idosos e crianças aproveitavam o dia de temperatura agradável.  É um programa que agrada a diferentes idades.  No meu grupo havia criança, adolescente e mulheres. Não dava para resistir a tantos aromas, flores, cores e plantas de espécies diferentes!  Uma das amigas queria plantas para a sala que não necessitassem muito cuidado: levou vasinhos com plantas suculentas  de diversos tons de verdes.  A outra amiga levou mudas de morangos, petunias e gerânios para plantar em vasos na sacada que pega sol o dia todo. Eu comprei uma sálvia aromática cheia de flores azuis. Saímos da floricultura com o porta-mala do carro lotado de plantas e muito felizes.

carro lotado de plantas
Passeio na floricultura =carro lotado de plantas Foto: Helena Schanzer

Pela quantidade de gente que tinha na floricultura, dava para ter noção como o mercado de plantas ornamentais e utilitárias (temperos, hortícolas, etc.) vem crescendo ano após ano. As pessoas moram cada vez mais em apartamentos e sentem necessidade de ter vegetação por perto. Também vem aumentando a preocupação com a qualidade da alimentação. Isto faz com que as pessoas queiram plantar temperos e alimentos em casa e no apartamento.

sálvia e petunias
Petúnias e salvia – Foto: Helena Schanzer

 

 

 

No dia dos Pais ofereça um presente para toda vida: plante uma árvore

No Dia dos Pais faça algo especial e que seja uma presente para toda vida: plante uma  árvore.  Se não tiver espaço para plantar uma árvore, então faça uma horta em casa ou na sacada. Tenha certeza que este dia ficará na memória de vocês para sempre. Com o passar dos anos, poderão admirar a planta que plantaram juntos.  Se você tem espaço no jardim, escolham juntos uma árvore para plantar e terão o prazer de ver ela frutificar!  Sabe aquele ditado: que na vida a gente tem que plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro? Então!!! Segue abaixo a listinha do que será necessário para colocar a mão na terra e criar uma lembrança bacana neste dia dos pais.

pai e filho

Para plantar uma árvore em vaso clique aqui para ver o passo a passo.

Para fazer uma hortinha caseira clique aqui para ver o passo a passo.

 

Se você mora em apartamento e o espaço é pequeno,  plante em um vaso na sala.  Escolha uma planta que não precise de sol direto, plantas de interior são adequadas para dentro de casa.

 

Você vai precisar dos materiais que você compra nas floriculturas:

-mudas de hortaliças  ou muda de árvore

-2 pares de  luvas: um para o pai e outro para o filho;

– pá de jardim,

– saco de  terra ( 5 quilos ou de 10 quilos) -conforme o tamanho do vaso,

– vaso -se ligue no tamanho do torrão da planta para caber no vaso

-ou pode ser um  canteiro no jardim,

– para camada de drenagem do vaso:  brita e  bidim,

E mãos à obra!!!  Bom plantio!

Bem estar: porque o contato com a natureza e com as plantas é tão relaxante e revigorante?

O contato com a natureza tem o poder de aliviar o estresse da vida urbana e proporcionar bem estar. Diversas pesquisas e estudos realizados nas últimas décadas nos Estados Unidos e na Suécia buscaram descobrir como a vegetação melhora o bem estar mental e a saúde das pessoas. Afinal, porque é tão relaxante e revigorante estar no meio da natureza e das plantas?

malinois-662776_1280
Estar no meio da natureza é relaxante e revigorante -Foto Pixabay

Desde 1980, um casal de professores de psicologia norte americanos, Kaplan & Kaplan*, são conhecidos por suas pesquisas sobre o efeito da natureza e do ambiente nas relações comportamentais e na saúde das pessoas. Estes estudos têm impactado no modo como os profissionais das áreas de arquitetura, urbanismo, paisagismo, design e outras ciências humanas visualizam a relação do homem com a natureza. Isto passou a influenciar gerações de psicólogos ambientais e designers.  Alguns dados interessantes que o casal Kaplan descobriu em suas pesquisas sobre psicologia ambiental e ambientes para as pessoas:

– Quando realizamos atividades que precisam de muita atenção e foco, gera fadiga mental e o remédio para tal fadiga é expor-se à natureza.

– Para que a natureza tenha um efeito relaxante, é preferível um lugar com alto poder de fascinação que trará mais benefícios para o usuário. Por exemplo, o mar, ou uma área verde com elemento com água, com fogo, ou um parque.

plant-214346_1280
Paisagens naturais  com alto poder de fascinação trazem mais benefícios para o expectador- Foto: Pixabay

–  Pessoas que trabalhavam em escritórios com uma vista da natureza eram mais felizes e mais saudáveis ​​no trabalho. E, estar em ambientes naturais levanta o humor das pessoas e aumenta a capacidade de concentração.

 Outras pesquisas na área da psicologia ambiental e saúde concluíram que:

–  Pessoas que se exercitam em ambientes externos agradáveis, ​​tendem a andar mais do que aqueles que caminham dentro de interiores ou em torno de seus bairros.

Bairros com mais áreas verdes podem proporcionar mais ambientes para exercitar-se

– As pessoas que possuem jardim, ou mesmo uma sacada com luz e sol e um pouco de paz e silencio para relaxar  após um dia de trabalho, se cansam menos e sentem menos estresse.

– Quanto mais próximo se mora do centro da cidade, mais estresse, dor de cabeça e irritação se apresenta.

– Jovens que moram em bairros com áreas verdes, tendem a se exercitar mais e mantêm melhores índices de massa corporal.

tree-690363_1280

Não há como dissociar o homem da natureza. O ser humano depende dela para se alimentar e obter recursos como a água, a terra, as plantas, os animais, os oceanos, a energia dos ventos, do sol. O ar que respiramos é oxigenado e umidificado pela vegetação. Sem as plantas não existiríamos porque não teríamos o oxigênio do qual dependemos para viver. As plantas são tão importantes para nossa vida que devemos cultivá-las perto de nós. Em todos lugares devemos ter espaços verdes para restabelecer nossa energia vital, para respirar ar puro, refrescar o ar e receber luz e sol para estimular nossa saúde e bem estar. As pessoas precisam frequentar parques, jardins e áreas verdes para ter o corpo e a mente saudáveis.

parque Lage no Rio de Janeiro
Parque Lage no Rio de Janeiro – área verde no meio da cidade do Rio de Janeiro – foto: Helena Schanzer

 

* Humanscape: Environments for people. Stephen Kaplan &Rachel Kaplan. 1982. Ulrich’s Books, Inc. Ann Arbor, Michigan.