Arquivo da categoria: Horta e temperos

Morangos são fáceis para cultivar em casa sem agrotóxicos

Para começar o seu cultivo de moranguinhos, escolha um lugar com muito sol. As plantas que frutificam morangos são pequenas, tem porte de forração e são pendentes. Podem ser cultivadas em vasos, floreiras e no jardim.

Morangos em vasos
Morangos em vasos       Foto: Pixabay

Passo a passo:

1. Escolha um vaso ou floreira com no mínimo 0,25 de largura ou diâmetro para 3 mudinhas pequenas. Os vasos devem ter furos embaixo para drenagem  da água. Pode-se também  plantar na terra direto. O espaçamento entre plantas é de 12 a 15 cm.
2. Faça a camada de drenagem com brita/sinasita, bidim e preencha com substrato bem drenado, arenoso e fértil.  VEJA AQUI EM DETALHES.

3. Retirar o saquinho plástico que envolve a mudinha. Colocar as mudas de morango no vaso, enchendo em torno delas com substrato.
4. Deixar  a terra nivelada a  dois centimetros abaixo da borda do vaso.
5.  Aperte firme a muda no solo para as raízes aderirem e molhe a planta.
6. Coloque o vaso em um local que receba pelo menos seis horas de sol por dia.

morangos
morangos com flor – Foto: Helena Schanzer
morangos
Morangos com solo com cobertura seca para evitar fungos – foto: Pixabay

DICAS DE CULTIVO:

– As flores da planta não podem pegar chuva forte, nem granizo. Proteja com sombrite ou tire o vaso da chuva quando chover forte e estiver em floração.

– Para que o morango não tenha fungos e adoeça, evite o contato da fruta quando ela nasce com o solo: cubra com palha seca, folhas secas ou, em escala maior, se utiliza a plasticultura.

–  Quando regar uma planta de morango, não molhe demais para não criar umidade para fungos aparecerem.
– Na primavera, os morangos são normalmente o primeiro fruto a  amadurecer.
– Coloque os vasos de morango em uma área ensolarada e vá girando em 180 graus duas vezes por semana para mante-los expostos uniformemente ao sol.

 

 

Você já ouviu falar de PANC, plantas alimentícias não convencionais?

 

Uma amiga, Stela Maris Jawetz,  trabalha com alimentação saudável e funcional e queria ter as plantas por perto para usá-las nos workshops que ela ministra em sua casa.  Queria poder coletar as folhas frescas que ela utiliza no preparo dos pratos durante os cursos. Ela me mostrou as plantas que usa nos sucos verdes. Uma das folhas era da planta dente-de-leão que para mim era uma novidade.  Eu nunca tinha olhado o matinho chamado dente-de-leão com este olhos!

dandelion- dente de leão -PANC
Dente de -leão- PANC – Foto: Pixabay

O que acho interessante é que estas espécies são resistentes, se adaptam a qualquer tipo de solo, não precisam de adubação e nem controle de pragas e doenças. É fácil de obter sementes e pode-se fazer o cultivo orgânico das plantas não convencionais.

dandelion-dente de leão
Dente de leão- flores e folhas, planta melífera e comestível – Foto: Pixabay

Me encantei com estas idéias na hora! Então a Stela Maris me mostrou o livro que estava pesquisando e estudando no momento: Plantas Alimentícias Não Convencionais – PANC- no Brasil. O livro é da conhecida editora Plantarum, de autoria do  Harri Lorenzi e do Valdely Ferreira Kinupp.  Trata com riqueza de dados sobre várias espécies de plantas que crescem espontaneamente nos jardins, nos gramados e que podem ser usadas como alimentos. Já comecei a olhar o mato onde não corto o gramado há meses sob outro prisma!!  Que potencial de folhas e flores interessantes que tem ali.

Livro Panc (2)
Livro PANC – Foto: Helena Schanzer

Inclusive mostra receitas de como usar as folhas, os frutos, as flores de cada uma. O livro chegou ontem para minha alegria e a primeira coisa que fiz foi comparar as “ervas daninhas” do meu jardim com as fotos do livro. Descobri muitas plantas para usar na cozinha, nos sucos verdes e já fiz mudas para o jardim no apartamento da amiga Stela.

receitas PANC
Livro PANC -Receitas – Foto: Helena Schanzer

A Stela é formada em arquitetura. Mas seus caminhos a levaram para a alimentação, acabou se apaixonando pelo tema e estudando em cursos nacionais e internacionais de alimentação funcional e raw-food.  Para quem não sabe, raw-food é comida crua e viva, uma corrente de alimentação que privilegia o  uso de alimentos orgânicos,  que não vem de origem animal e não são refinados.  O cozimento se dá a baixas temperaturas para não perder os nutrientes.

 

Stela Maris desenvolve um trabalho com alimentação funcional, comida crua e viva.  Conforme ela explica: “a alimentação viva é geradora de vida, pois os alimentos vivos  como as frutas, as verduras cruas,  as sementes e os brotos absorvem a energia vital da natureza presentes no sol, na terra, na água. Assim, quando comemos estes alimentos,  aumentamos nossa vitalidade favorecendo a desintoxicação das células e dos tecidos. Isto ocorre porque estes alimentos contém enzimas que são substâncias vitais responsáveis pelas reações químicas que ocorrem nas células dos organismos vivos. Desta maneira, comer o alimento apropriado, seguindo as necessidades individuais de cada pessoa, é uma forma de extrair energia do nosso entorno de uma maneira harmoniosa e consciente”.

 

Para saber mais sobre o trabalho de alimentação saudável e funcional desenvolvido pela Stela Cozinha dá uma olhada nos links:

Instagram:  Stelacozinha
m.facebook.com/StelaCozinha

 

Saúde com suco de maracujá: uma planta com fruto delicioso, flores lindas e fácil de cultivar

O maracujá é uma planta tropical com flores lindas e de formato exótico. A Passiflora edulis*, conhecida como maracujá, possui mais de 20 espécies nativas cultivadas e silvestres do sul ao norte do Brasil. O suco da polpa da fruta é muito saudável pois é rico em vitamina C, que é um antioxidante, vitamina A, B, sais minerais, flavonóides, entre outros compostos benéficos.  O poder antioxidante destas vitaminas combinadas melhoram o funcionamento do organismo. Podemos comer a polpa do fruto do maracujá como também fazer sucos, molhos e diversas delícias. E o melhor,  o maracujá é fácil de cultivar.

Flor do maracujá, planta trepadeira
Flor do maracujá, planta trepadeira – Foto: Pixabay
passion-fruit - fruto maracujá
Fruto maracujá maduro – foto: Pixabay

O fruto e as folhas da planta

Possuem propriedades nutritivas e medicinais e são usados por seus efeitos calmantes e sedativos. O maracujá pode ser plantado através das sementes do fruto ou com mudas. A multiplicação com sementes é muito simples, basta enterrar a 1, 5 cm e a planta cresce sem muitos cuidados. Veja como plantar.

passion-fruit - furto maracujá
Fruto maracujá aberto, cheio de sementes com a polpa na volta. Foto: Pixabay
maracujá vermelho - fotos : Pixabay
Maracujá vermelho – fotos : Pixabay

O maracujá é uma planta trepadeira muito resistente e precisa de um suporte para se desenvolver. Isto é bem importante: ele deve ter uma estrutura para ir se agarrando e crescendo. Gosta de sol e deve ser regada de 3 a 4 dias (se não chover).  A polonização das flores ocorre através de insetos polinizadores como abelha e  vespas. Os beija -flores também ajudam a polinizar as flores.

passion-fruit- maracujá
Gavinhas da planta do maracujá usadas para a planta se agarrar ao suporte. Foto: Pixabay

 

Existem diversas espécies de maracujá, com flores de diferentes tamanhos e cores. Algumas com flores vermelhas bastante atrativas para os polinizadores.

 

*Frutas brasileiras e exóticas cultivadas, Harri Lorenzi et al. São Paulo. Instituto Plantarum de Estudos da Flora,2006.

Cultive frutíferas e temperos em vaso: dicas para plantio de limoeiro, hortelã e manjericão

É bem fácil cultivar árvores frutíferas e temperos em vasos.  Basta ter uma sacada ou cobertura com sol. Estas plantas precisam de sol  pelo menos 6 horas/dia. Aqui vou mostrar dicas e as etapas para plantar um vaso com mudas de limoeiro, hortelã, manjericão e os materiais necessários. Esta é um idéia legal para dar de presente, dura muitos anos e ainda rende limonadas, caipirinhas, sucos saudáveis e sem agrotóxicos. É bem simples de fazer.

plantio de limoeiro em vaso com hortelã e temperos
Foto: Helena Schanzer  – Plantando limoeiro, hortelã e manjericão roxo com a pá de jardinagem

Você vai precisar de pá de jardinagem, luvas e os seguintes materiais para plantio do vaso (diametro de 0,40 mt mínimo) muda de limoeiro, mudas de hortelã e de manjericão roxo que são encontrados nas floriculturas ou supermercados. Sempre compre mudas de viveiristas certificados, isentas de pragas e doenças, bem  formadas e embaladas.



Com os materiais e as plantas à mão,  a primeira etapa é preparar a drenagem do vaso, olhe o passo a passo:


Depois que o vaso estiver com uma camada de terra, preparado para receber a muda da árvore de limão- tahiti (Citrus limon), é o momento de preparar o torrão.  Pode-se plantar a muda com este pano de algodão envolvendo o torrão. Eu não gosto, porque demora para se decompor, prefiro retirar delicadamente para não desmanchar o torrão e deixar a terra em contato com substrato. Se deixar o pano, retire as amarras de fio porque não se decompõe.  No inverno, encontra-se a muda neste tipo de embalagem: torrão com raízes embaladas em pano, porque as mudas de cítricos podem ser comercializadas e plantadas desta forma. Para plantar em qualquer época do ano, a muda é embalada em pote plástico com terra. O prato do vaso não é necessário e assim se evita que fique com água acumulada podendo ocasionar  a dengue.



Com a muda de limão plantada, vamos plantar os temperos na volta. Teremos que retirar um pouco da terra para ter espaço para os temperos como a hortelã e o manjericão roxo. Retirar as mudas da embalagem plástica e plantar na terra na volta do torrão do limoeiro. Completar com terra  até cobrir as mudas. Na primeira vez, regar  até sair água do vaso. A rega para manutenção deve ser feita quando a terra estiver começando  a ficar seca.