Arquivo da categoria: Preservação e recuperação ambiental

O que podemos fazer para salvar as abelhas?

Voce já se deu conta das noticias alarmantes sobre a sobrevivência das abelhas no nosso planeta? Já faz alguns anos que tem se falado sobre o desaparecimento destes insetos. As abelhas tem um papel fundamental na manutenção da vida porque são importantes polinizadoras de infinitas espécies vegetais.  Sem elas, muitas plantas não florescem e consequentemente, não frutificam.  E como é fica a reprodução das plantas?  E nós, que atitudes podemos tomar para salvar as abelhas?

lavender-1537694_1280
Abelhas polinizando as flores de lavanda Foto: Pixabay

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês), estima-se que 73% das espécies vegetais cultivadas no mundo sejam polinizadas por alguma espécie de abelha. Para terem uma idéia da importancia destes agentes polinizadores, a ciência já desenvolveu  “abelhas-robos” (robobees) para polinizarem as plantas, já que a população das abelhas vem diminuindo drasticamente.

Abelhas e o mel foto:pixabay
Abelhas e o mel foto:pixabay

São diversos os motivos para o desaparecimento das abelhas:

1. Desmatamento das áreas verdes e consequente diminuição de alimentos e habitats para as abelhas.

2. Os inseticidas e pesticidas aplicados usualmente nas lavouras, nos jardins para controle de pragas e para controle de mosquitos ( Zica, dengue) matam as abelhas também. Elas são insetos e os inseticidas matam todos eles indiscriminadamente.

3. Fungos ou virus em colmeias;

4. Inseticidas do grupo Neonicotinoides são letais para as abelhas e colméias.

 

O que fazer para melhorar a vida das abelhas?

1. Plante flores, em especial as espécies nativas que alimentam as abelhas oferecendo seu pólen e nectar.

2. Evite usar pesticidas para controlar as pragas da casa e do jardim. Dê preferencia para produtos que não causem danos nem poluem o meio ambiente. Veja no final deste post links com  algumas dicas de controle ecológico.

3. O produto Fipronil que se usa no Brasil  para controle de pulgas e carrapatos nos nossos pets, e também como produto tóxico na isca formicida, acabam indiretamente causando a morte das abelhas. Mas a gente vai fazer o que para matar as pulgas dos pets e controlar as formigas?

 

Flores alimentam as abelhas
Flores alimentam as abelhas

 Como controlar insetos e outras pragas no jardim sem danificar o meio ambiente, VEJA

Jardins verticais transformam muros e paredes

 

Leonardo Di Caprio é um ativista dedicado ao meio ambiente

O ator e produtor  americano Leonardo Di Caprio é um ativista engajado na proteção ambiental.  A ONU nomeou-o como representante das alterações climáticas em 2014.  Em 2016, ele discursou  sobre as questões que os oceanos enfrentam na Conferência Oceânica em Washington, organizada pelo antigo Secretário de Estado John Kerry. A conferência Our Ocean concentrou-se em questões-chave do oceano tais como áreas marinhas protegidas, pescas sustentáveis, poluição marinha e impactos relacionados ao clima no oceano. Leonardo DiCaprio falou sobre sua experiência testemunhando os efeitos prejudiciais da mudança climática enquanto filmava seu documentário Before The Flood.

Leonardo_DiCaprio_Shakes_Hands_With_Secretary_Kerry_Prior_to_Delivering_Remarks_at_the_-Our_Ocean-_Conference
Leonardo DiCaprio é um ativista ambiental foto: Divulgação fundação DiCaprio

O ator criou a sua própria fundação de defesa do meio ambiente, a Leonardo DiCaprio Foundation, em 1998. A fundação dedica-se a “preservar os últimos locais selvagens do planeta, a implementar soluções que restaurem o balanço de ecossistemas ameaçados e a procurar soluções a longo prazo para a saúde e bem-estar dos habitantes do planeta Terra”.  Conheça a fundação DiCaprio em:   http://leonardodicaprio.org/

Leonardo DiCaprio    foto: Divulgação
Leonardo DiCaprio foto: Divulgação

Além da própria fundação, o ator faz parte da direção dos grupos ambientalistas Natural Resources Defense Council (NRDC), Global Green USA e International Fund for Animal Welfare (IFAW). Em 2007, produziu o documentário The 11th Hour, no qual trabalhou durante quatro anos.

Leonardo DiCaprio    foto: Divulgação
Our Ocean e Leonardo DiCaprio foto: Divulgação

 

Veja como Israel reutiliza toda água

Conheça um inseto que suga a seiva da planta

Existem insetos benéficos para as plantas, veja aqui. E também existem insetos que danificam as plantas, sugam a seiva através do caule e das folhas até a planta morrer. Um destes insetos sugadores é a cochonilha, que lentamente vai tomando conta da planta e aos poucos ela perde a vitalidade, as folhas caem e a planta seca. Este processo pode levar até um ano, conforme o grau de infestação da cochonilha.

cochonilhas
Cochonilhas na árvore de bergamota

Existem diversas espécies de cochonilhas: as de carapaça marrom ou preta, cochonilha com aspecto de farinha branca, e outras que parecem seres extraterrestres quando examinadas de perto. Olhem na foto acima a cochonilha  que apareceu na árvore de bergamota!  Para terminar com estes insetos sugadores não precisa usar venenos. Voce pode limpar as partes atacadas com uma esponja molhada em uma calda de sabão neutro de glicerina ou de coco.  Veja AQUI como controlar as cochonilhas com produtos que não causam danos a natureza.

 

Veja AQUI a diferença entre cultivo orgânico e hidropônico.

Saiba como reciclar o lixo organico da cozinha AQUI

Como cultivar temperos e frutíferas em vasos

Jardim vertical com orquídeas transforma parede

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

Porque um Jardim Botânico é importante?

Toda cidade que se preze no mundo tem um jardim botânicoTemos flora e fauna nativa riquíssima! O jardim botânico é importante na educação ambiental e tem recantos e espécies incríveis: tem o jardim dos perfumes, o jardim sensorial, um bosque de ciprestes de inúmeras espécies, além de outros.

Fernando Gomes - Agencia RBS
Educação ambiental no Jardim Botanico – foto: Fernando Gomes – Agencia RBS

Na minha vida o jardim botânico de Porto Alegre teve uma importância imensa. Quando eu tinha 16 anos, fiz o meu primeiro curso de jardinagem no Jardim Botânico de Porto Alegre. Foram tardes ensolaradas de uma primavera há décadas atrás quando eu, junto com minha mãe, aprendemos como reproduzir plantas, cuidar e plantar. Conhecemos diversas espécies e passeamos pelos diferentes recantos. Aquela semana de estudos no Jardim Botânico consolidou em mim a paixão que já tinha pelas plantas e me fez decidir cursar agronomia. Este curso acabou norteando minha trajetória profissional. Eu frequento jardins botânicos, sou fascinada por eles. Os jardins botânicos são importantes instituições que abrigam coleções documentadas de plantas vivas  e desenvolvem pesquisas científicas, além da educação e da conservação e exposição de espécies vegetais. No jardim botânico são cultivadas muitas plantas raras que só tem ali.  As pessoas nem imaginam, mas no jardim botânico de Porto Alegre, existe um  jardim para cegos, onde os deficientes visuais podem usar o sentido do tato e do olfato para perceber e sentir as plantas.

jardim botanico de Porto Alegre    Reprodução de foto de Tetraktys  wikipedia
Educação ambiental no Jardim Botânico de Porto Alegre- Reprodução de foto do Tetraktys wikipedia

O Jardim Botânico de Porto Alegre possui uma área total de 39 hectares de parque. No local, podem ser compradas espécies de mudas nativas do Rio Grande do Sul (frutíferas e ornamentais) e medicinais, produzidas no próprio viveiro, no banco de sementes do Jardim Botânico. O parque realiza atividades educativas e culturais que objetivam a conscientização da flora nativa e da biodiversidade. Conforme o site da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, conta com aproximadamente 6 mil exemplares separados em 18 coleções do arboreto e nove especiais, localizadas em estufas e vasos. As coleções são principalmente de espécies raras e nativas do Rio Grande do Sul, e algumas que só ocorrem no estado. Em conjunto com o Museu de Ciências naturais, o órgão atua conjuntamente na coordenação da elaboração da Lista Oficial de Espécies Ameaçadas do RS.

Jardim botanico Porto Alegre por Tetraktys -  Wikimedia Commons
Jardim Botânico de Porto Alegre Foto de Tetraktys – Wikimedia Commons

De acordo com dados de 2012 da Rede Internacional de Jardins Botânicos (Botanic Gardens Conservation International – BGCI), estima-se que existam, hoje, cerca de três mil jardins botânicos e arboretos distribuídos em 180 países. São instituições que cultivam, coletivamente, mais de cem mil espécies de plantas, representando quase um terço de todas as plantas conhecidas no mundo.

Jardim Botânico de Porto Alegre - Foto divulgação FZB -por sergiobavaresco
Jardim Botânico de Porto Alegre – Foto: divulgação FZB -por Sergio Bavaresco

 

Veja Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook/Instagram/Twitter

 

 

 

 

 

Idéias de caminhos para o jardim

Caminhos no jardim bem desenhados e com plantas interessantes fazem toda a diferença. Selecionei jardins que criei  que possuem caminhos com pisos diferentes e ladeados de plantas para você se inspirar.

escada com lavandas
Escada com lavandas e madressilva projeto arquitonico Marion Feldman e paisagismo Helena Schanzer
jardim na serra - arquitetura Jose Wilosn & Wagner Brasil e paisagismo Helena Schanzer
Caminho em basalto com ciprestes, cicas e agapantus – Jardim e foto by Helena Schanzer
trilha
Trilha em área de preservação permanente em condomínio jardim e foto by Helena Schanzer

 

Sicredi: projeto arquitetonico de Milton Campos e Carlos Morganti, paisagismo Helena Schanzer
A floreira é o banco foto: Helena Schanzer
Projeto de jardim em parceria com Santini &Rocha Arquitetos em 2003
Passeio no jardim do Tecnopuc – foto e jardim by Helena Schanzer

 

jardim residencial com arq. Helena Karpouzas   foto Eneida Serrano
Jardim residencial em parceria com arq. Helena Karpouzas foto Eneida Serrano

Veja porque as árvores são importantes e como escolher a espécie

Plante nativas no jardim

Lavandas trazem perfume e bem estar ao jardim

Horta e temperos: veja como cultivar

Veja Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook/Instagram/Twitter

 

Dia das crianças: tem jardim na escola do seu filho?

As crianças estão brincando cada vez mais longe da natureza.  As crianças de antigamente se exercitavam e se distraiam brincando na rua, no sol, ao ar livre. Aprendiam brincando, em contato com a natureza. Hoje, infelizmente, as escolas infantis tem cada vez menos área verde, os pátios são todos pavimentados e a vegetação é escassa.  Brincar ao ar livre, torna as crianças mais felizes e espertas. Ainda bem que existem movimentos para resgate desta infância antiga, me acompanhe aqui.

Crianças brincando com água
Crianças brincando com água foto: Pixabay

O contato com o ar puro, o sol e a natureza deixa elas mais saudáveis também. Lembram de quando era possível brincar na rua, sem celular para nossa mães nos encontrarem? Passávamos o dia em grupos na rua correndo, brincando de sapata, de esconder e na hora do almoço estávamos famintos!

playground-1383133_1920
Playground para crianças foto: Pixabay

Um movimento cultural e educacional está emergindo com novas abordagens para a educação na primeira infância  baseada na natureza. Este movimento nos oferece um vislumbre do que a infância costumava ser, e busca resgatá-la com modernas recriações do jardim das crianças. Sugerem  o pré-escolar em contato com a natureza e o jardim de infância da floresta. Se nós olhamos  estes exemplos, podemos ser capazes de resgatar a infância.

children in a park
Crianças no bosque Foto: Pixabay

Imagine que no ano 1916 o jardim de infância tinha no currículo aulas como: “observação do sol, da lua, das estrelas, do céu, das nuvens, chuva e neve,  cuidados de animais vivos, (como um gatinho), nomes de aprendizagem de objetos naturais. ”  Alguma pré-escolas e jardins de infância ainda são mais puristas e vão além: alguns jardins de infância na Europa ( por ex. Alemanha), as crianças passam 80 a 90% do tempo ao ar livre. Fazem imersões na natureza através de passeios em florestas, com riachos e ficam em fazendas.

children-playing-334531_1920
Meninas brincando em playground foto: Pixabay

Veja também:

Jardim vertical: como encher de plantas um muro!

Férias de julho com as crianças: plante uma horta e faça ioga

Adolescentes: qual o espaço aberto ideal para eles?

Bem estar: porque o contato com a natureza  faz bem

 

Conheça o jardim que fica no telhado da biblioteca da Universidade de Varsovia, na Polonia

Meus pais e avós nasceram na Polonia. Eu cresci escutando histórias da segunda guerra mundial e dos horrores nazistas que destruíram 90% do território polonês. Sempre imaginei que este país era todo em preto e branco, ou cinza.  Me surpreendi com as fotos e descrições que minha irmã me mandou da Polonia com imagens coloridas dos inúmeros parques e jardins bem cuidados que lá existem. Me contou que o país é lindo, com áreas verdes generosas, criativas e bem planejadas. O espaço verde mais incrível é o jardim botânico e parque com  17 mil metros quadrados que fica no telhado verde da Biblioteca da Universidade de Varsóvia.

IMG-20160825-WA0020
Jardins no telhado da biblioteca da universidade de Varsóvia foto: Dora Schanzer

Localizado entre o Rio e Campus Vístula, a moderna Biblioteca da Universidade de Varsóvia  é formada por edifícios, ligados por uma passarela de vidro coberto. Após a construção do conjunto em 1999 a meados de 2002, os jardins projetados pela paisagista Irena Bajerska foram abertos ao público.

Parque no telhado da biblioteca da universidade de Varsóvia   foto: Dora Schanzer
Área verde no telhado da biblioteca da universidade de Varsóvia foto: Dora Schanzer

Esta área verde começa no piso térreo e vai subindo para a cobertura do prédio da biblioteca e é usada pelos  estudantes e público em geral.  Para quem for para Varsóvia, estes jardins ficam ao lado do Centro de Ciencias Nicolas Copérnico.

IMG-20160825-WA0013
Jardins no telhado da biblioteca da universidade de Varsóvia foto: Dora Schanzer

Em Varsóvia você tem à sua disposição uma das maiores e mais bonitas áreas verdes: o Jardim botânico no telhado da Biblioteca da Universidade.

biblioteca da universidade de Varsóvia
Biblioteca da universidade de Varsóvia foto: Dora Schanzer

O parque recebe milhares de visitantes de todo mundo para conhecer a área verde criada nas alturas.

Parque no telhado da biblioteca da universidade de Varsóvia   foto: Dora Schanzer
Jardins no telhado da biblioteca da universidade de Varsóvia foto: Dora Schanzer

VEJA MAIS FOTOS DOS JARDINS DO TELHADO VERDE NA GALERIA  Fotos: Dora Schanzer

 

Veja outras plantas perfumadas AQUI.

Lavandas são opções de plantas com perfume!

Porque estar no meio das plantas traz bem estar

Gerânio, cultive esta flor linda!

Suculentas são versáteis

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

A nova mania nos Parques é capturar Pokemon GO

Finalmente inventaram alguma coisa que está levando os jovens aos parques para caminhar no sol! No primeiro domingo de sol com temperatura primaveril, o Parque da Redenção em Porto Alegre, também chamado de parque Farroupilha, lotou de gente com celular na mão procurando os Pokemons! O aplicativo de celular Pokémon GO é um jogo cujo foco é capturar o Pikachu e sua turma. E contagia todas as idades. Só vendo mesmo para acreditar e entender a loucura geral!  Parques como o Parque Marinha*, Parcão (parque Moinhos de Vento) e a praça da Encol também atraíram os jovens para a caçada virtual dos Pokémons.

Recanto do Buda: capturando Pokemon foto: Helena Schanzer

Uns amigos me convidaram para testar a nova tecnologia e fomos no Parque da Redenção curtir o domingo de sol e capturar Pokémons. Fique sabendo que neste parque, perto do recanto do Buda,  encontram-se os três  melhores lugares da cidade para se pegar Pokémon. A brincadeira é legal e achei ótimo que dá para jogar ao ar livre em um parque. Frequentar parques, independente da motivação, melhora o bem estar mental.

capturando Pokémon
Celulares na mão capturando Pokémon foto: Helena Schanzer

Assim como aconteceu em Nova Iorque na ocasião do lançamento do Pokémon GO, que as pessoas lotaram o Central Parque para capturar os Pokémon, aqui acontece este mesmo fenômeno nos parques da nossa cidade. Mas fique esperto: Não dá para ir aos parques capturar Pokémon com  celular depois das 19h por que é perigoso.  E sempre é bom ir em grupos, porque além da segurança isso aumenta a interação, que é o objetivo do jogo.

celular na mão e olho no Pokemon  foto
Celular na mão e olho no Pokemon foto: Helena Schanzer

Para ser um mestre Pokémon o jogador pode escolher uma gama de monstrinhos. Cada tipo de Pokémon tem uma fraqueza e uma força, por isso é necessário estratégia para combater os outros mestres de estádios e conquistar um ginásio da cidade para você. E cada um tem um Poder de Combate (CP) e um Ponto de Vida (HP). O ginásio, assim como as pokestops são locais reais da cidade, acessados por meio de um GPS.

Capturando Pokemon na Redenção Magikarp
Capturando Pokemon na Redenção Magikarp

Assim o treinador Pokémon interage com o ambiente. Isso criou um verdadeiro fluxo em parques, shoppings e teatros. Esses lugares são escolhidos pelo aplicativo de acordo com suas informações do Google. Lugares públicos e privados registrados no Google são escolhidos pelo jogo e viram pontos de interesse para o jogador. Lá podem batalhar (Gym) ou coletar itens de graça (pokestops). Outro parque para jogar é o Parcão e lá o melhor local para pegar Pokemons é no monumento perto da rua 24 de Outubro.

celular na mão atrás de Pokémon
Todos de olho no celular e nos Pokémons foto: Helena Schanzer

O que mais aumenta a interação é que nessas pokestops é possível usar um item para atrair pokemons chamado ‘lure module’. Assim, diversos pokémons são atraídos e, com isso, diversos jogadores. O monumento do escultor Carlos Tennius no Parcão e o monumento do Buda na Redenção são dois bons exemplos desse fenômeno.

Capturando Pokemon na Redenção Spearow
Capturando Pokemon Spearow na Redenção foto: Helena Schanzer

Assim, hoje fui apresentada ao jogo Pokémon GO. Para uma treinadora que gosta de plantas como eu, a melhor equipe de Pokemons a ser formada é a do tipo grama*, talvez inseto (se eles não comessem a minha horta). Os Pokemons que eu  escolherei para minha equipe são: Pinsir  do tipo inseto e Scyther, Venosaur, Victreebel, Exeggutor e Vileplume  do tipo principal grama.  E tomara que não apareça nenhum Charizard ou Dragonite para me incomodar…

Agradecimentos:  Colaboração  de Pedro Schanzer Oliveira

*corrigido em 09/08/2016 às 22:17 hr

VEJA:

Soluções para muros e paredes sem graça: faça um jardim vertical

Caminhar em parques confere bem estar mental e saúde

Como cuidar das plantas

Plante árvores frutíferas em vasos

Tenha horta em casa ou no apartamento

 

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

 

 

 

Paisagismo em sítio de lazer na Serra gaúcha

Uma casa com um jardim imenso, com uma paisagem bucólica para esquecer o tempo e as preocupações do mundo. Em 1991 uma cliente me contratou para desenvolver o projeto de paisagismo para o seu sitio de lazer na Serra gaúcha. Ela queria preservar as árvores e as plantas que existiam no local e plantar mais flores, temperos,  frutíferas e espécies adaptadas ao local. Me inspirei nos jardins de Punta del Leste, com seus amplos gramados e espécies  tolerantes ao frio como aqui.

IMG-20160622-WA0015
O jardim hoje, com 24 anos de projeto de paisagismo!! foto: acervo da proprietária

Este sítio é um lugar para descansar e encontrar a paz. É onde os proprietários relaxam e se conectam com a natureza. Na beira do lago foram plantados copos-de-leite, capim-dos-pampas e margaridas para dar um ar campestre ao local. A proposta era ter um amplo gramado com a espécie grama-esmeralda.

2016-07-17 20-52-15_0135
Foto Helena Schanzer

A casa de madeira é de enxaimel, construção típica da região de colonização germânica e foi restaurada. Na região era comum o uso de taipas, que são muretas de pedra bruta construídas artesanalmente, sem uso de rejunte ou cimento. O muro é montado somente encaixando as pedras. O pessoal da região sabia como fazer esta técnica e então criamos recantos com estas taipas para resgatar algo tão típico da região antigamente.

IMG-20160622-WA0012

A estrada de acesso foi arborizada com álamos italianos para dar um toque de cor outonal.IMG-20160622-WA0019

IMG-20160622-WA0013

 

Fotos do sítio antes do projeto de paisagismo e após  a implantação – Fotos e  Jardim by Helena Schanzer

 

Conheça insetos benéficos para o jardim e a horta

Quando pensamos em insetos no jardim e na horta, pensamos em pragas e que todos eles comem as plantas. Isto não é verdade. A maioria dos insetos são amigos do jardim e da horta porque são predadores de outros insetos que atacam e devoram as plantas. Por exemplo, a joaninha é uma grande amiga das plantas. Ela é predadora de cochonilhas e pulgões  (e as  larvas destes) que sugam a seiva das plantas até danificá-las.

Joaninha come insetos que matam as plantas   foto: Pixabay
Joaninha come insetos que matam as plantas foto: Pixabay

As abelhas são insetos fundamentais na polinização das flores, contribuindo para a perpetuação das espécies das plantas. Os insetos benéficos são a resposta da natureza para o controle de pragas e são muito valiosos na jardinagem orgânica e na agricultura biológica. É uma espécie de biocontrole – inseto come inseto!

pussy-willow-502575_1280
Abelhas polinizam flores foto: Pixaby

O louva-deus come gafanhotos, moscas, abelhas, grilos e vespas – e até mesmo a sua própria espécie.

praying-mantis-1286922_1280
Louva-deus é um inseto benéfico para o jardim foto: pixabay

O que as pessoas costumam fazer para se livrar das pragas no jardim? Em geral usam pesticidas. Infelizmente, com o uso dos pesticidas acontece que as verdadeiras pragas do jardim tornaram-se completamente resistentes aos venenos de tanto as pessoas usarem. E o pior é que os insetos benéficos do jardim e da horta morrem também. Precisamos de certos insetos em nossos jardins e hortas como agentes polinizadores, predadores e parasitas. Desta forma eles exercem o controle natural das espécies sem o uso de agrotóxicos.

beetle-54479_1280
Besouro preto

Crisopídeos, também chamados leões de afídeos, se alimentam das pragas semelhantes aos dos insetos agressivos mencionados acima, bem como de ninfas e ovos de traça. Se não houver néctar e pólen suficiente  no jardim para os insetos adultos se alimentar, eles vão embora procurando alimentos em outros lugares.

oleander-flower-63802_1280
Crisopideos

 

dragonfly-178309_1280
Libélula          foto Pixabay

Além desses insetos benéficos, as aranhas (que são artrópodes de oito patas em vez de insetos) são grandes predadores no jardim porque comem muitos tipos diferentes de insetos.

damsel-341724_1280
Donzelinhas – foto Pixabay

hoverfly-1286856_1280

 

Como atrair insetos benéficos para o seu jardim:

A melhor maneira de atrair insetos benéficos e outras criaturas favoráveis ​​para o seu jardim é fornecer-lhes o que eles apreciam como néctar e pólen (flores!), por exemplo.  Há algumas plantas que irão atrair insetos benéficos e mantê-los no seu jardim como  trevo, coentro, calêndula, lavanda, dill, salsa, erva-doce, flor cosmos, enter outras plantas, em especial as espécies nativas do local. Lembre que  plantas diferentes irão atrair insetos diferentes. Por exemplo, as abelhas serão atraídas pela erva-cidreira, sálvia abacaxi, salsa, flores de frutíferas ( laranjeiras, pessegueiros, maracujá) e lavandas.

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter