Arquivo da tag: alimentação viva

Saiba o que é alimentação viva e onde encontrá-la

Cuidar da alimentação é a base de uma boa saúde e de qualidade de vida. Uma tendência mundial é a comida viva porque preserva os nutrientes do alimento na medida que os vegetais são usados crus/vivos. Conheça a Urban Farmcy que traz esta proposta inovadora para Porto Alegre. Eles querem provar que a alimentação viva é rica em sabor, em saúde, muito nutritiva e vibrante.

Couve variedade Kale  cultivada em estufa   foto: Emmanuel Denauí
Couve- variedade Kale – cultivada em estufa Foto: Emmanuel Denauí

Estive lá para conhecer e me surpreendi. A idéia dos sócios da Urban Farmcy Tobias Chanan, Bernardo Spilari, Luis Felipe Carchedi e Thiago Loth é que seja uma marca de alimentação que abranja toda cadeia alimentícia, desde o restaurante até o cultivo dos alimentos. Não são usados produtos de origem animal, somente o mel, o pólen de abelha e o ovo, que está em um dos pratos do cardápio. A preocupação com a alimentação busca alimentos puros. Não somente os orgânicos, como vegetais cultivados hidroponicamente e que não recebam agrotóxicos durante o cultivo. Os hidropônicos não são considerados orgânicos mas podem ser tão limpos quanto. Atualmente, cerca de 70% do mix de ingredientes da Urban Farmcy é puro.

módulos estufa de cultivo
Módulo de estufa de cultivo Foto: Emmanuel Denauí – Divulgação

A missão da marca é redefinir o futuro da alimentação, através de um modelo que irá proporcionar escolhas que gerem impacto positivo social, econômico e ambiental. Para isso, a proposta abrange as duas extremidades da cadeia: o cultivo e o consumo, Farm to Mouth. De um lado, a Urban Farmcy desenvolve módulos de produção indoor de alimentos que, futuramente, darão origem a uma rede coletiva, hiperlocal e urbana de fornecimento de vegetais. Na outra ponta, o restaurante busca diminuir o gap existente entre a culinária artística e o que há de mais atual em saúde, nutrição e consciência ambiental.

patio da Urban farmcy
Pátio da Urban Farmcy Foto: Helena Schanzer

Uma das espécies cultivadas nas estufas é a Kale: uma espécie de couve Crespa, símbolo mundial do superfood por ser rica em fitonutrientes e antioxidantes. Hoje utilizam  sementes importadas da Holanda para plantar nos módulos dentro da Casa Urban, de forma hiperlocal.  Além da Kale, também plantam Microgreens de Beterraba, Rúcula, Girassol e Grama de Trigo (Wheatgrass – que extraem a clorofila para fazer sucos). Microgreens são vegetais em seu segundo estágio de vida, no período entre 7 a 14 dias após a germinação, momento com maior intensidade de sabor e densidade de nutrientes.  Devido à curta distância entre o local onde o alimento é cultivado e consumido, pode-se colher os vegetais momentos antes de serem consumidos, o que faz com que os mesmos permaneçam vivos até a hora de serem ingeridos, garantindo maior frescor, textura, sabor e nutrientes.

Módulos estufa de cultivo foto: Emmanuel Denauí
Microgreens na estufa de cultivo foto: Emmanuel Denauí

Com alta concentração de clorofila o wheatgrass, ou grama de trigo, foi escolhido para ser cultivado nas fazendas urbanas da Urban farmcy. Ele é um excelente alcalinizante,  responsável por auxiliar na desintoxicação do organismo, e na melhora do sistema imunológico. Além disso, também é rico em vitaminas e sais minerais. A Urban está desenvolvendo módulos automatizados para o cultivo de vegetais. Com essa tecnologia, querem criar uma rede de produção e fornecimento hiperlocal (urbano) de alimentos. Os módulos estão sendo criados para que possam ser levados para dentro das casas das pessoas. Assim,  qualquer um pode fazer parte da rede de microfazendeiros urbanos da Urban Farmcy e ser remunerado por isso.

Módulos estufa de cultivo foto: Emmanuel Denauí
Módulos estufa de cultivo foto: Emmanuel Denauí

Os “Urban farmers” não usam agrotóxicos. Os alimentos devem ser limpos e puros. Não são orgânicos pois o processo de cultivo é hidropônico. Não utilizam solo, na água colocam os nutrientes minerais, oriundos de rochas, que através da água da irrigação são levados às plantas.

Vantagens deste sistema de cultivo:

-A água é recirculada evitando desperdícios;
-Sem o transporte por longas distâncias reduz-se o consumo de combustíveis e emissão de carbono;
-Produção 365 dias por ano, não há influência do clima. Deste modo não há perda da produção por excesso de chuva, granizo, ventos, etc.
-Alimentos puros: sem utilização de agrotóxicos.
-Através da hidroponia, é  possível ter precisão no fornecimento de nutrientes para o vegetal, o que garante um crescimento saudável.

-Pode-se controlar a iluminação e as plantas recebem a quantidade de luz necessária por dia para poderem se desenvolver com excelência. De um modo geral, temos um ambiente controlado onde os elementos necessários para desenvolvimento do vegetal são entregues dependendo do estágio de vida e suas características próprias.

O restaurante

O restaurante do Urbam Farmcy tem as plantas como base e a técnica Raw como pilar. O cozimento em baixa temperatura é priorizado, até 46° C para manter o alimento vivo e nutritivo, sempre com muito sabor.  Deste modo, o alimento permanece vivo, nutritivo e saboroso desde o momento que é colhido até o momento que é consumido.

Casa da Urban Farmcy: Rua Hilário Ribeiro, 299 – Porto Alegre
Instagram: @urbanfarmcy
Facebook: /urbanfarmcy

VEJA MAIS:

Quer saber a diferença entre cultivo organico e hidroponico? Veja AQUI

Plantas transformam muro em jardim vertical, veja!

Conheça um jardim sustentável

Aprenda a reciclar seu lixo orgânico da cozinha e faça seu adubo

 Siga Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter