Arquivo da tag: bem estar

Conforto ambiental nas cidades melhora com telhados e terraços verdes

O conforto ambiental nas cidades está relacionado com a presença da vegetação e das áreas verdes.  A vegetação tem a capacidade de humanizar os ambientes gerando bem estar, refrescar a temperatura,  atrair e alimentar a avifauna, absorver o impacto da água no solo quando chove, embelezar o ambiente, além de outros benefícios.

DSC06266
Telhados verdes no Sicredi paisagismo by Helena Schanzer

Na cidade, estamos acostumados a ver a vegetação nos parques e nos jardins cultivada na terra diretamente ou em vasos.  Hoje, com o crescimento e adensamento urbano, os espaços destinados às áreas verdes e  jardins foram se adaptando e tomando conta das coberturas. É possível plantar um jardim no terraço e no telhado de um prédio, a tecnologia está aí para isto.

azaleas
Azaleas no telhado verde- embaixo é estacionamento foto: Helena Schanzer

Plantar no telhado é considerado atualmente uma solução diferenciada e  de alta tecnologia. É tendência nas edificações de várias capitais do mundo. Prefeituras de cidades como Recife, Curitiba, Buenos, Aires,  Nova Yorque, Paris, Áustria, entre várias outras,  já incentivam a construção de telhados e  terraços verdes.

Veja a cobertura de uma residência transformada em jardim.

Foto: Helena Schanzer - terraço verde sobre estacionamento no Sicredi
Foto: Helena Schanzer – terraço verde sobre estacionamento no Sicredi

As vantagens da utilização de telhados verdes são inúmeras tais como:  absorção da água da chuva e redução do impacto da água de enxurrada, redução da poluição sonora, redução da poluição do ar, isolamento térmico, diminuição do ofuscamento da superfície  das paredes, humanização do ambiente,  melhoria da estética,  além de criar um espaço para uso.

Vou mostrar alguns exemplos do que é possível realizar com a vegetação nas alturas. Nas fotos acima e abaixo são mostrados jardins executados sobre uma laje de concreto onde embaixo, foi construído o estacionamento do complexo de prédios na sede do Sicredi em Porto Alegre. O projeto de paisagismo foi desenvolvido pela equipe da engenheira agronôma Helena Schanzer  em parceria com o  arquiteto Milton Campos e o arquiteto Carlos Morganti, arquitetos do complexo de torres comerciais do Sicredi.  A execução foi desenvolvida em parceria com Cahuy Jardins.

As áreas verdes do Sicredi estão situadas sobre uma grande laje de concreto, sendo que embaixo é o estacionamento do complexo de prédios. A drenagem e a impermeabilização garantem o escoamento e reaproveitamento adequado da água. A carga gerada pelos jardins está suportada pelo estrutural da edificação.  Este grande jardim foi executado há 10 anos atrás.

Foto: Helena Schanzer – terraço verde sobre o estacionamento no Sicredi

O jardim nas alturas é formado de palmeiras fênix (Phoenix roebelinii) , palmeiras-gerivá (Arecastrum romanzofianum),  Ave-do-paraíso (Strelizia reginae), cicas (Cyca revoluta), Agapantus e outras espécies que o sistema radicular não seja agressivo. O substrato a ser usado é também fundamental para o sucesso do plantio. O substrato é a mistura da terra+composto orgânico+areia+cascas de árvore.

Sicredi   2  jardim nov. 2013
Foto: Helena Schanzer – cicas e ericas

Para criar um telhado  verde é fundamental que a equipe técnica projete e execute a impermeabilização, o caimento do laje/telhado adequado, a drenagem e o suporte do peso previstos na obra.  Pode-se plantar sobre a laje de concreto ou usar sistemas modulares pré-fabricados adaptados para o plantio na horizontal e na vertical, como é o caso de paredes. Não esgotarei o assunto em um post,  aos poucos vamos falando sobre este assunto tão fascinante.

Foto: PIXABAY - Telhado verde da Academia de Ciencias da California/  EUA
Foto: Pixabay – Telhado verde da Academia de Ciencias da California/ EUA
Foto: Zinco Divulgação - Sistema modular de telhados verdes - intensivo e extensivo
Foto: Zinco Divulgação – Sistema modular de telhados verdes – intensivo e extensivo

 

Foto: Zinco Divulgação - Sistema modular de telhados verdes - intensivo e extensivo
Foto: Zinco Divulgação – Sistema modular de telhados verdes – intensivo e extensivo
Foto: Zinco Divulgação - Sistema modular de telhados verdes - intensivo e extensivo
Foto: Zinco Divulgação – Sistema modular de telhados verdes – intensivo e extensivo

VEJA TAMBÉM: Casa tem telhado verde com jardim

Menos concreto: Shopping center tem telhado verde e jardim na cobertura

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

Férias de julho com as crianças: plante uma horta e faça ioga

Férias de julho e as crianças em casa, haja criatividade para inventar programas, não é?  E como tirar as crianças da frente da tela do computador e do celular? Indico uma atividade que as crianças adoram: mexer na terra e com as plantas. É super saudável, elas se conectam com a natureza e começam a repensar de onde vem os alimentos que comem. Para vocês se inspirarem, mostro uma atividade que organizamos junto com a Lezanfan: uma tarde para plantar hortaliças e temperos na sacada de um apartamento. As crianças se engajaram no plantio e estavam animadas!   Para completar, depois da plantação, as meninas relaxaram com uma sessão de ioga com a professora Juliana Rosa. Foi uma tarde muito diferente e deixou todos, adultos e crianças, felizes e conectados com o que realmente importa: a natureza e o bem estar!

A Luciana Chwartzmann, da Lezanfan, queria fazer uma horta de temperos e ter frutas na sacada do apartamento. Depois de visitar a casa, planejei os vasos e as floreiras com árvores, arbustos, plantas trepadeiras , temperos, hortaliças e as espécies adequadas. Para plantar as frutíferas e preparar as floreiras para o plantio da horta, a equipe da Cauhy Jardins foi encarregada.

Foto: Helena Schanzer  -Sacada de apartamento após projeto de paisagismo  e execução da hortinha nas floreiras
Sacada de apartamento após projeto de paisagismo e execução da hortinha nas floreiras – Foto: Helena Schanzer

Para começar a tarde de plantio, as meninas escreveram com canetas coloridas permanentes em embalagens de isopor (aquelas de hortaliças) para fazer as plaquinhas com o nome de cada plantinha. Olhem nas fotos a fofurice das plaquinhas. Dá para regar o jardim que elas não estragam com a água!

 As crianças escrevendo plaquinhas para a horta  na sacada
As crianças escrevendo plaquinhas para a horta na sacada – Foto: Helena Schanzer
Foto: Helena Schanzer - plaquinhas  de isopor reciclado  com nome dos temperos para a horta  na sacada
Plaquinhas de isopor reciclado com nome dos temperos para a horta na sacada – Foto: Helena Schanzer

A sacada do apartamento bate sol o dia todo, dá para plantar frutíferas, horta, temperos e plantas perfumadas. As espécies de frutas plantadas em vasos foram pitangueira, jaboticabeira,  laranjinha-do-Japão, mirtilo, fissalis e romã-anã.

Foto: Helena Schanzer - Vasos com árvores frutiferas na sacada: na ordem: pitanga-anã, jaboticabeira e mirtilo
Vasos com árvores frutiferas na sacada: na ordem: pitanga-anã, jaboticabeira e mirtilo – Foto: Helena Schanzer

Para plantar a horta podemos usar sementes ou comprar mudinhas das hortaliças e dos temperos. Usando sementes gastamos menos, mas levamos mais 2 à 3 meses a mais para ter o mesmo tamanho que a mudinha de menor porte ( varia conforme o clima e  espécie).

plantando horta caseira
Plantando tempero, Sálvia, na floreira da sacada do apartamento – Foto: Helena Schanzer

A Lu é uma amiga de longa data. Ela trabalha com crianças desenvolvendo atividades lúdicas. Então, no dia combinado para plantar a horta nas floreiras, a Lezanfan trouxe uma turma de meninas fofas de 7 à 11 anos.

mãos das crianças plantando hortinha
Crianças plantado as hortaliças e temperos na horta caseira Foto: Helena Schanzer

As meninas plantaram  temperos e hortaliças tais como: salsinha, rúcula, couve-manteiga, tomates, manjericão, alecrim, manjericão roxo, alface roxa e hortelã.  Depois regaram as plantinhas.  E o toque final  foi  a aula de ioga para relaxar.

Com a mão na terra para plantar! Foto: Helena Schanzer

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

 

Bem estar: plante lavandas para ter flores perfumadas no jardim

Nesta época do ano as lavandas estão  comçando a florescer, para elas quanto mais frio, melhor.  As lavandas  tem flores perfumadas e podem ser cultivadas no jardim ou em vasos na sacada. O perfume da lavanda é suave e relaxante. Uma das plantas  aromáticas mais cultivadas, a  lavanda ou alfazema é um pequeno arbusto perene (+- 50 cm) que cresce rápido no sol. É cultivada como ornamental,  para fins medicinais e para perfumaria.  As  flores de cor lilás presentes o ano todo são delicadas e melíferas.

Foto:  Wikimedia Commons  - Flores de Lavandas
Foto: Wikimedia Commons – Eleonorapulcino- Flores de Lavandas

A lavanda é uma espécie européia que gosta de clima frio, por isto se adapta bem aqui no sul. A parte mais usada da planta são as flores.  A lavanda é muito usada para extração do óleo aromático. Possui  diversas propriedades medicinais tais como calmante, relaxante e para tratamento das vias respiratórias.

Foto:  Pixabay   lavandas na Provence - França
Foto: Pixabay   – Lavandas na Provence – França

* Existem diversas espécies de lavandas: Lavandula denticulata, Lavandula stochea,  Lavandula  angustifolia  ou L. officinalis (lavanda inglesa, alfazema – esta espécie que é a cultivada na França. As flores delicadas das lavandas são sempre visitadas por abelhas e borboletas.

Foto:  Pixabay  flor de lavanda  - lavender  flower
Foto: Pixabay    – flor de lavanda – lavender flower

Para cultivar lavandas, primeiramente tem que ter sol. É importante que o solo seja uma mistura de areia com composto orgânico e bem drenado. A água para a  lavanda não pode faltar, mas não se deve molhar demais, gosta de  solo seco entre as regas. A lavanda é uma planta de crescimento  rápido e quando os ramos crescerem demais, podem ser podados de leve.

Foto: Pixabay - Lavandas  flores
Foto: Pixabay – Lavandas flores

Pode se usar as flores da lavanda para fazer saches perfumados, enfeitar vasinhos para a casa  e também na culinária para sorvetes e biscoitos.

Foto: Helena Schanzer - Lavanda denticulata
Foto: Helena Schanzer – Lavanda denticulata – espécie mais usada aqui no sul

 

Foto  Pixabay  table-decorations-
Foto: Pixabay – vaso com lavanda

 Veja também Como ter árvores frutíferas no apartamento

* Plantas medicinais no Brasil, Nativas e exóticas. Harry Lorenzi e F.J. Abreu Matos. Instituto Plantarum, 2002.

Siga Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

 

 

 

 

Jardinagem + Gastronomia + Terapia = Gastroterapia + qualidade de vida

A Gastroterapia é uma atividade de reconexão e reflexão, mais do que uma aula de jardinagem ou culinária. Para saber sobre este tema tão interessante e atual, conversei com a terapeuta Michele Valent que mora em Teutonia e lá desenvolveu a “Gastroterapia”. Michele Valent é ativista do movimento Slow Food, médica psiquiatra, com mestrado em psicopatologia do trabalhador e cozinheira profissional formada pelo Italian Culinary Institute for Foreigners – ICIF/UCS.

Gastroterapia
Gastroterapia por Michele Valent

O que é esta união da gastronomia com a terapia?

Michele: É um exercício de educação emocional através da jardinagem e da culinária. Com um tema diferente a cada encontro, os participantes elaboram e degustam uma refeição completa – da entrada à sobremesa, da horta ao prato.
Uso a gastronomia como veículo para trabalhar e para responder algumas das demandas mais prementes do homem contemporâneo. Começo com o plantar, o cultivar e o colher, e o espaço da agricultura na vida urbana. Tento resgatar essa possibilidade, reavivar o laço com uma origem rural não muito distante, que sobrevive na memória afetiva e na vontade. Lanço a provocação e convido as pessoas a investigarem os arquivos vivos de suas culturas, as pessoas mais velhas, os camponeses conhecidos.  Observamos que muitas pessoas não percebem de onde vêm os alimentos que comem e não dão a importancia devida a alimentação. E tem várias pessoas que são muito informadas quanto à alimentação e vem para saber mais.

Colhendo os ingredientes que serão cozinhados  Foto: Michele Valent
Colhendo os ingredientes que serão cozinhados Foto: Michele Valent
Almoço servido com o que o grupo colheu na horta e  cozinhou   Foto: Michele Valent
Almoço servido com o que o grupo colheu na horta e cozinhou Foto: Michele Valent

Como estabeleces estas conexões?

A produção do alimento ressignifica o trabalho, porque refaz o link direto entre trabalhar e comer, recorda à pessoa o motivo de levantar todos os dias e tolerar tantas frustrações. E por aí, vai. No cultivo e na cozinha, trabalho a prática da atenção plena, do estar no momento presente como antídoto contra a ansiedade moderna. Trabalho a tolerância, a paciência, o zelo e outras tantas virtudes esquecidas em nossa cultura da pressa e do descartável. Trabalho a comensalidade, o ser anfitrião e matriarca/patriarca – o agregar a família ao redor do fogo do lar ou da mesa, sem exclusões.

12419222_999222293454744_4527150144419373317_o
Grupo animado colheu, cozinhou e comeu vegetais direto da horta Foto: Michele Valent
Comer juntos após colher e cozinhar é um enorme prazer  Foto: Michele Valent
Comer juntos após colher e cozinhar é um enorme prazer Foto: Michele Valent
Enfeitando com flroes comestíveis
Enfeitando com flores comestíveis: amor perfeito

Como funcionam os encontros de gastroterapia?

É difícil, depois de uma certa idade, formar novos amigos – e comer juntos, preparar uma refeição – facilita esse movimento. Pessoas de formações muito diferentes, vindas de diferentes pontos, se reúnem para lembrar, para trocar e para conviver. Após o encontro, quando retornam para suas casas, trazem de volta à mesa os familiares sugados pelas telas dos eletroeletrônicos. Enfim, são outros valores: contra o consumo, micropolítica na escolha do que se come, na valorização do pequeno produtor, a gastronomia como ato artístico, cultural, nutricional, químico e agrário.

gastroterapia
Cozinhando juntos Foto: Michele Valent
Venha trocar todos os livros de dieta por alguns princípios simples
Venha trocar todos os livros de dieta por alguns princípios simples Foto: Michele Valent
regras para aumentar sua inteligencia gastronomica
Regras para aumentar sua inteligencia gastronômica Foto: Michele Valent
o cantinho das apiáceas   salsas, aipo, endro e coentro
Na horta, o cantinho das apiáceas como  salsas, aipo, endro e coentro Foto: Michele Valent

Quer saber mais informações , olha o link   https://www.facebook.com/notes/gastroterapia/perguntas-mais-frequentes-sobre-a-gastroterapia/937312929645681

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

Conviver com as plantas melhora a qualidade de vida

Existem diversas pesquisas e estudos realizados nas últimas décadas comprovando os benefícios do contato com a natureza e a vegetação. Conviver com as plantas e a natureza melhora e muito o bem estar mental e a saúde das pessoas. Esta interação tem o poder de aliviar o estresse da vida urbana e proporcionar bem estar. Vale a pena dedicar o tempo livre para trazer vida e energia nova para sua casa e para o jardim: dê uma volta em uma floricultura ou em um parque e descubra coisas novas, plantas novas. Eu pratico isto:  vou na Floricultura Blumengarten para ver o que tem de novidades para cultivar no meu jardim e alegrar minha casa. Minhas preferidas são as plantas comestíveis, como frutos e temperos. E plantas com flores e perfumes. Para dentro de casa, onde tem pouca luz natural também existem opções.  Dá uma olhada em algumas sugestões.

mini romã
Fruta para cultivar em um vaso na sacada com sol: mini romã Foto: Helena Schanzer
floricultura blumengarten
Muito verde na Floricultura Blumengarten Foto: Helena Schanzer

Para ter contato com o verde no seu dia a dia, cultive vasos na sacada e faça atividades no jardim. Estudos comprovaram que pessoas que trabalhavam em escritórios com uma vista da natureza eram mais felizes e mais saudáveis ​​no trabalho. Estar em ambientes naturais levanta o humor das pessoas e aumenta a capacidade de concentração.

lirio da paz
O lirio-da-paz é uma planta com flores duráveis apropriada para interiores . Foto: Helena Schanzer

O lirio-da-paz ou Spathiphyllum é uma planta ótima para ter em casa ou no escritório em locais onde não tem sol. Ela gosta de luminosidade e de solo úmido. A suculenta da foto abaixo, a epífita Ripsalis é uma ótima opção para pequenos espaços com pouca luminosidade natural em escritórios e na casa. Fica linda em um cachepô de cerâmica.

Ripsalis
Ripsalis

Existem tipos de plantas de tantas espécies que sempre encontra-se uma que se adeque a situação que temos em casa. O bem estar que as plantas nos trazem é incrível, elas humanizam qualquer ambiente.

orquídea Oncidium, nativa do sul e dá muita flor
orquídea Oncidium, nativa do sul e dá muita flor
flores e mais flores
Passeio na floricultura traz bem estar e nova perspectiva de ver as plantas

 

floricultura Blumen 2
Plantas de todos tamanhos e espécies, difícil escolher! Foto: Helena Schanzer

 

Veja mais sobre  como o contato com a natureza e as plantas melhora a qualidade de vida e o bem estar

 

**************

BLUMENGARTEN

HORÁRIO DE ATENDIMENTO
segunda a sábado das 08h às 18:30h (horário de verão)
domingos e feriados das 10h às 18h

ENDEREÇO

Rua Dr. Salvador França, 1750
Bairro Jardim Botânico III Perimetral
Porto Alegre / RS – com estacionamento próprio

Fone: (55) 51 3338 1588

**************

*Essa é uma postagem comercial. O conteúdo foi redigido pelo Jardim de Helena (Helena Schanzer) e a marca e o local que aparecem aqui estão em conformidade com as condições editoriais para publicação no blog e no site da Rádio Gaúcha. A autora do blog teve liberdade para escolher, avaliar ou até mesmo vetar (se necessário) marcas ou produtos. É a garantia que você (leitor) terá exatamente o mesmo ponto de vista e qualidade de um conteúdo não comercializado.

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

Porque é importante plantar árvores e como escolher a espécie

Afinal, porque é importante plantar árvores? E com tantas espécies que existem, como escolher a árvore ideal para plantar? Vou dar uma ajuda com alguns esclarecimentos sobre as árvores. Há uma década atrás fiz meu mestrado em conforto ambiental na engenharia civil. Meu foco de estudo  foi a vegetação no ambiente construído e sua relação com o conforto ambiental em termos de temperatura e bem estar das pessoas.  Quando falo em vegetação, falo principalmente das árvores que são o expoente maior na paisagem. As árvores são importantes porque interferem na temperatura urbana e na purificação e oxigenação do ar através da fotossíntese. Além disto, as árvores fornecem sombra, umidificam o ar e mantem a temperatura mais fresca ao seu redor. As árvores tem relação intensa com a avifauna e a microfauna, além de fornecer frutos para os pássaros da cidade.

Guapuruvu
Árvore com altura de 30 metros – guapuruvu – foto: Pixabay

Em uma árvore podem habitar infinitas espécies de outras plantas menores (por ex. epífitas como orquídeas, samambaias,  liquens, etc) e pequenos animais, insetos, microfauna e microorganismos no solo. A floração e a frutificação das árvores são super importantes para polinização, para a alimentação tanto da fauna como das pessoas. Enfim, as árvores são determinantes na vida do planeta, na nossa vida e bem estar.

fern-520146_1280
Plantas epífitas em tronco de árvore – foto: Pixabay

Existem milhares de espécies de árvores (incluo as palmeiras nesta conceituação). Cada espécie com características diferentes e adaptadas a todo tipo de clima. Árvores que crescem bem rápido, outras lentamente. E de vários tamanhos quando atingem o porte adulto: de 3 metros de altura até 40 metros de altura ou até mais. Quando planejamos plantar uma árvore em um local, temos que pensar no tamanho que ela terá quando for adulta. Tudo depende do espaço que temos disponível, tanto para cima da terra, como para baixo do solo para o crescimento das raízes. Temos que considerar se dará flor, o tipo de fruto/a, tamanho das folhas, altura, diâmetro da copa, etc.

recovery-847988_1280
Árvore adulta de porte grande – foto: Pixabay

Existe árvore que tolera sol escaldante e temperatura seca. E árvore que gosta do frio e da umidade. Por exemplo: no clima frio ( temperado e subtropical), temos várias espécies de ciprestes, pinheiros e árvores que perdem as folhas no inverno, justamente para passar o sol para aquecer o ambiente. Também para que a neve que cai nas folhas não pese e rompa os galhos. E quando a árvore não perde as folhas no inverno, observe que ela tem folhas pequenas e finas.  A natureza é sábia. Já nos trópicos onde o clima é quente, as folhas são grandes para dar mais sombra e tirar proveito da umidade do ar que é alta.

spring-641994_1920
A árvore e a avifauna que dela depende para viver – foto: Pixabay

Minha dica é:  conheça a árvore que pretende plantar, estude sobre ela  para escolher a árvore certa para cada situação.

Saiba mais sobre as diferentes espécies de árvores:

Pinheiro brasileiro – Araucaria angustifolia

Figueira-nativa

Figueira exótica cujas raízes rompem canos

Frutíferas

Cultive frutíferas em vasos

Ipê-roxo

Jaboticabeira

Magnólia

Oliveira

Porque as árvores caem no temporal? Veja aqui!

 

Siga Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

Bem estar: porque o contato com a natureza e com as plantas é tão relaxante e revigorante?

O contato com a natureza tem o poder de aliviar o estresse da vida urbana e proporcionar bem estar. Diversas pesquisas e estudos realizados nas últimas décadas nos Estados Unidos e na Suécia buscaram descobrir como a vegetação melhora o bem estar mental e a saúde das pessoas. Afinal, porque é tão relaxante e revigorante estar no meio da natureza e das plantas?

malinois-662776_1280
Estar no meio da natureza é relaxante e revigorante -Foto Pixabay

Desde 1980, um casal de professores de psicologia norte americanos, Kaplan & Kaplan*, são conhecidos por suas pesquisas sobre o efeito da natureza e do ambiente nas relações comportamentais e na saúde das pessoas. Estes estudos têm impactado no modo como os profissionais das áreas de arquitetura, urbanismo, paisagismo, design e outras ciências humanas visualizam a relação do homem com a natureza. Isto passou a influenciar gerações de psicólogos ambientais e designers.  Alguns dados interessantes que o casal Kaplan descobriu em suas pesquisas sobre psicologia ambiental e ambientes para as pessoas:

– Quando realizamos atividades que precisam de muita atenção e foco, gera fadiga mental e o remédio para tal fadiga é expor-se à natureza.

– Para que a natureza tenha um efeito relaxante, é preferível um lugar com alto poder de fascinação que trará mais benefícios para o usuário. Por exemplo, o mar, ou uma área verde com elemento com água, com fogo, ou um parque.

plant-214346_1280
Paisagens naturais  com alto poder de fascinação trazem mais benefícios para o expectador- Foto: Pixabay

–  Pessoas que trabalhavam em escritórios com uma vista da natureza eram mais felizes e mais saudáveis ​​no trabalho. E, estar em ambientes naturais levanta o humor das pessoas e aumenta a capacidade de concentração.

 Outras pesquisas na área da psicologia ambiental e saúde concluíram que:

–  Pessoas que se exercitam em ambientes externos agradáveis, ​​tendem a andar mais do que aqueles que caminham dentro de interiores ou em torno de seus bairros.

Bairros com mais áreas verdes podem proporcionar mais ambientes para exercitar-se

– As pessoas que possuem jardim, ou mesmo uma sacada com luz e sol e um pouco de paz e silencio para relaxar  após um dia de trabalho, se cansam menos e sentem menos estresse.

– Quanto mais próximo se mora do centro da cidade, mais estresse, dor de cabeça e irritação se apresenta.

– Jovens que moram em bairros com áreas verdes, tendem a se exercitar mais e mantêm melhores índices de massa corporal.

tree-690363_1280

Não há como dissociar o homem da natureza. O ser humano depende dela para se alimentar e obter recursos como a água, a terra, as plantas, os animais, os oceanos, a energia dos ventos, do sol. O ar que respiramos é oxigenado e umidificado pela vegetação. Sem as plantas não existiríamos porque não teríamos o oxigênio do qual dependemos para viver. As plantas são tão importantes para nossa vida que devemos cultivá-las perto de nós. Em todos lugares devemos ter espaços verdes para restabelecer nossa energia vital, para respirar ar puro, refrescar o ar e receber luz e sol para estimular nossa saúde e bem estar. As pessoas precisam frequentar parques, jardins e áreas verdes para ter o corpo e a mente saudáveis.

parque Lage no Rio de Janeiro
Parque Lage no Rio de Janeiro – área verde no meio da cidade do Rio de Janeiro – foto: Helena Schanzer

 

* Humanscape: Environments for people. Stephen Kaplan &Rachel Kaplan. 1982. Ulrich’s Books, Inc. Ann Arbor, Michigan.

Faça você mesmo seu jardim na cobertura

Numa cobertura de apartamento, o casal que curte decorar e arrumar a casa,  construiu seu próprio jardim. Inclusive a montagem do sistema de irrigação por gotejamento As plantas contribuem para criar um ambiente acolhedor e humanizado.

Foto: Helena Schanzer - cobertura de apartamento com trepadeiras: jasmim miúdo, liriopsis e bouganvilea rosa pink
Foto: Helena Schanzer – cobertura de apartamento com trepadeiras: jasmim miúdo, liriopsis e bouganvilea rosa pink
Buxus em vasos
Foto: Gabi Hess – Buxus e oliveira em vasos

O casal gosta de receber os amigos em casa junto com os 2 filhos. Para isto, a Gabi transformou esta cobertura num jardim verdejante e refrescante. A mesa na cobertura para receber as visitas tem cadeiras modelo Masters do designer francês Philippe Starck.

mesa na cobertura com jardim
Foto: Helena Schanzer – Decoração da  cobertura e jardim: criação by Gabi Hess

 

Para criar este oásis verde, o casal Gabriela e Eduardo Hess uniu seus talentos: ela criou os espaços com vasos e floreiras plantando espécies de jasmim perfumado, temperinhos, suculentas, oliveiras, flores e enfeitou com mimos e encantos. Duplicou o verde com espelhos estrategicamente posicionados.  Onde o olhar mira, vemos um detalhe criado pela Gabi.   A Gabi é designer têxtil e tem uma confecção de homewear e este olhar apurado para os pequenos detalhes ela transpõe para o jardim.   Olha estas flores de cerâmica enfeitando o canteiro!

flores de ceramica
Foto: Gabriela Hess  – Detalhes by Gabi

Eduardo Hess é consultor de empresas e curte fazer as tarefas do jardim para relaxar. Diante da tarefa de molhar as plantas, em especial quando se ausentavam em viagens, Eduardo decidiu investir na irrigação. Foi feito um grande investimento em vegetação e em vasos, então vale a pena cuidar.

Foto: Helena Schanzer - Faça voce mesmo  o sistema de irrigação
Foto: Helena Schanzer – Faça voce mesmo o sistema de irrigação

Eduardo planejou e fez o sistema de irrigação para todos os vasos. Entrou na internet, comprou através de um site o sistema de irrigação por gotejamento com timmer (minicomputador para programar a irrigação) de Miami. Depois adaptou o sistema criando novos ramais conforme a necessidade de água de cada planta com adaptadores comprados por aqui mesmo.

gotejador no vaso
Foto: Helena Schanzer – gotejador no vaso do jardim

 

piscina com o jardim
Foto: Helena Schanzer – Jardim na cobertura criado pela Gabi:  oliveiras e buxus
suculentas
Foto: Helena Schanzer – vasinhos com suculentas by Gabi Hess

Para que fique tudo bem cuidado, a Arteplantas faz a manutenção mensal através da poda e da limpeza das plantas, além  da adubação. Estas tarefas a Gabi gosta de acompanhar para que o jardim esteja sempre lindo. Muitas plantas da cobertura tem valor afetivo por serem presentes de amigos e outras por que acompanham eles desde que eram recém casados.  Então, se inspirou para fazer o seu próprio jardim?

http://gabihess.com/

 

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

Conhece a planta que a flor nasce no meio da “folha”?

Esta planta é muito usada como ornamental em arranjos de folhagens e flores pela durabilidade e por seu aspecto exótico e  peculiar: a flor nasce no meio da folha. Botanicamente falando, a folha verde é na verdade o caule modificado ( fitocládio). Para cultivo como arbusto é bem resistente.  Para uso em arranjos de  vasos de vidro com água como folhagem ornamental,  os ramos podem ser encontrados para venda em supermercados e  floriculturas.

Ruscus_hypoglossum_wikipedia
Foto: Wikipedia – Folha modificada de Ruscus hypoglossum com a flor no centro

A planta  Ruscus hypoglossum, popularmente chamada de Ruscus é um arbusto perene de origem européia e pode chegar a 0,80 mt de altura. A s folhas verdadeiras são pequenos apêndices verdes ao redor das flores.

Ruscus_hypophyllum wikipedia
Foto: Wikipedia – Folha modificada de Ruscus hypoglossum com a flor no centro

A fruta é uma pequena baga globosa vermelho que raramente nasce.

Ruscus_hypoglossum Wikipedia
Foto: Wikipedia – Folha modificada de Ruscus hypoglossum com o fruto vermelho no centro

Conhece a planta que a flor nasce no meio da "folha"?

Esta planta é muito usada como ornamental em arranjos de folhagens e flores pela durabilidade e por seu aspecto exótico e  peculiar: a flor nasce no meio da folha. Botanicamente falando, a folha verde é na verdade o caule modificado ( fitocládio). Para cultivo como arbusto é bem resistente.  Para uso em arranjos de  vasos de vidro com água como folhagem ornamental,  os ramos podem ser encontrados para venda em supermercados e  floriculturas.

Ruscus_hypoglossum_wikipedia
Foto: Wikipedia – Folha modificada de Ruscus hypoglossum com a flor no centro

A planta  Ruscus hypoglossum, popularmente chamada de Ruscus é um arbusto perene de origem européia e pode chegar a 0,80 mt de altura. A s folhas verdadeiras são pequenos apêndices verdes ao redor das flores.

Ruscus_hypophyllum wikipedia
Foto: Wikipedia – Folha modificada de Ruscus hypoglossum com a flor no centro

A fruta é uma pequena baga globosa vermelho que raramente nasce.

Ruscus_hypoglossum Wikipedia
Foto: Wikipedia – Folha modificada de Ruscus hypoglossum com o fruto vermelho no centro