Arquivo da tag: compostagem caseira

Reciclando lixo organico com a composteira plástica – passo a passo

A compostagem é o destino correto para a  reciclagem do lixo orgânico gerado na cozinha. O lixo orgânico se transforma em um composto orgânico rico em nutrientes após algumas semanas. Este composto resultante da compostagem pode ser usado na adubação das plantas do jardim e da horta. Para este processo é necessário um espaço adequado e existe no mercado uma composteira de plástico bem apropriada para isto.  Veja o exemplo de utilização da composteira da Tramontina em um Condominio em São Paulo no video no link:

http://g1.globo.com/sao-paulo/sptv-1edicao/videos/t/edicoes/v/condominios-participam-de-projeto-de-reciclagem-de-lixo-organico-na-capital/4384725/

 

DSC01934
Composteira em local aberto – Foto: Helena Schanzer

Esta composteira deve ser usada em áreas abertas de casas e áreas condominiais.  Não é indicada para apartamentos. O uso da composteira é muito simples: basta ir colocando o lixo orgânico da cozinha todos os dias e cobrir com folhas secas, restos de corte de gramado, restos de poda. Com a  camada de folhas secas fica sem odor e a mistura destas dois materiais: folhas secas e lixo orgânico fermentarão gerando um produto que é um composto orgânico ou humus de ótima qualidade e fertilidade. Dá para acrescentar um vermicomposto para acelerar o processo. Instalei uma composteira destas no meu jardim, no mato. Estou achando ótimo! Super prática de usar, sem cheiros e higiênica. Não se tem contato com o lixo, simplesmente vai se colocando e intercalando com folhas secas. E daqui um mês começo a recolher o humus na parte de baixo da composteira.

 Saiba mais: A composteira de plástico organiza o lixo orgãnico

 

Passo a passo da montagem e uso da composteira caseira    Galeria de Fotos: Helena Schanzer

 

 

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

Composteira dá a destinação correta para seu lixo orgânico doméstico

A Composteira Plástica Tramontina é ideal para a formação de adubo para jardins e hortas a partir de resíduos orgânicos, como folhagem, cascas de frutas e restos de alimentos.  O lixo orgânico da cozinha com a adição de folhas secas,   se transforma a partir de 30 dias em um composto orgânico rico em nutrientes para as plantas do jardim e  da horta.

78295014_8
Composteira de plástico Foto: Tramontina Divulgação

Através da ação de microorganismos, a composteira possibilita a degradação dos resíduos orgânicos gerados em casa, transformando-os em composto estabilizado e abundante em nutrientes minerais, que então podem ser utilizados como adubo. A matéria orgânica úmida (verduras, legumes, borra de café), deve ser coberta com material seco (cascas de árvore, serragem, folhas secas, aparadas de grama) que auxiliam na aeração da compostagem e evitam a geração de odor e proliferação de insetos.

classificação lixo
Foto: Tramontina Divulgação

Confeccionada com 90% de materiais reciclados, possui construção única que permite a circulação de ar e aceleração da compostagem. Conta com duplo acesso para facilitar a extração do adubo produzido, podendo ser montada e desmontada sem a utilização de ferramentas. A composteira da Tramontina, que tem capacidade de 250 litros, auxilia na preservação do meio ambiente, reduzindo o lixo doméstico por meio da reciclagem de materiais orgânicos.

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

Jardim sustentável cultiva plantas nativas, tem baixo consumo de água e composteira

Há uns anos atrás criei para uma amiga o jardim da casa (uma cobertura horizontal)  com princípios  de sustentabilidade. No video a seguir voces irão assistir as idéias utilizadas para deixar um pequeno jardim aconchegante e atrativo para a avifauna graças às plantas nativas usadas. Também mostra como fazer compostagem caseira com os resíduos organicos da cozinha.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=jFlk2tBw9nE]

Programa Estilo Zen –  Lu Adams – TV COM -RBS

O paisagismo sustentável tem uma abordagem diferente do paisagismo usual. Para planejar um jardim sustentável temos que ter uma visão mais holística da natureza. Devemos pensar na água e na energia. Temos que cuidar dos resíduos que geramos e transformá-los em composto orgânico que é um adubo para usar na horta e no jardim. Para ser ambientalmente adequado, o jardim deve ter bastante espécies nativas da região. Ter diversidade de espécies de vegetação, atrai diferentes espécies de pássaros, borboletas, a fauna, além de incrementar a microvida do solo.

Abutilon_megapotamicum WIKIPEDIA
Planta nativa do sul que atrai beija flores, Abutilon megapotamicum

No paisagismo, a abordagem da energia usada deve ser de luminárias com pequenos coletores solares ou lâmpadas  Led.  Em relação a água, deve-se buscar o baixo consumo de água pelas plantas cultivando espécies nativas, rústicas e pouco exigentes em água.  Outro aspecto interessante é o uso de cisterna para coleta da agua da chuva dos telhados verdes para reuso na irrigação e serviços gerais.

Foto: Helena Schanzer  -Salvia guaranitica -Salvia azul - Arbusto
Arbusto nativo: Salvia guaranitica -Salvia azul Foto: Helena Schanzer –

Os materiais usados no jardim devem ser regionais com baixa pegada ecológica, por exemplo: pedras e madeiras  da região. Quanto a vegetação é muito sustentável ter telhados verdes, cortinas e paredes verdes.  Outra característica de um jardim sustentável é que ele seja produtivo, isto é, cultivar espécies frutíferas, ter horta e temperos. E claro, usar espécies vegetais nativas / com baixo consumo de água.

telhado verde
Sustentabilidade com Telhado verde

Não devemos esquecer que o aspecto social também conta pontos. As pessoas envolvidas no projeto e na execução do jardim devem se sentir satisfeitas com o serviço. O trabalho tem que oferecer condições legais e confortaveis , respeitar horários, dar equipamentos e acomodações adequadas.

Para ser sustentável é fundamental que no controle de pragas e doenças não se faça uso de agrotóxicos. Deve-se usar produtos que não poluam nem danifiquem o meio ambiente.

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter