Arquivo da tag: recuperação ambiental

O que podemos fazer para salvar as abelhas?

Voce já se deu conta das noticias alarmantes sobre a sobrevivência das abelhas no nosso planeta? Já faz alguns anos que tem se falado sobre o desaparecimento destes insetos. As abelhas tem um papel fundamental na manutenção da vida porque são importantes polinizadoras de infinitas espécies vegetais.  Sem elas, muitas plantas não florescem e consequentemente, não frutificam.  E como é fica a reprodução das plantas?  E nós, que atitudes podemos tomar para salvar as abelhas?

lavender-1537694_1280
Abelhas polinizando as flores de lavanda Foto: Pixabay

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês), estima-se que 73% das espécies vegetais cultivadas no mundo sejam polinizadas por alguma espécie de abelha. Para terem uma idéia da importancia destes agentes polinizadores, a ciência já desenvolveu  “abelhas-robos” (robobees) para polinizarem as plantas, já que a população das abelhas vem diminuindo drasticamente.

Abelhas e o mel foto:pixabay
Abelhas e o mel foto:pixabay

São diversos os motivos para o desaparecimento das abelhas:

1. Desmatamento das áreas verdes e consequente diminuição de alimentos e habitats para as abelhas.

2. Os inseticidas e pesticidas aplicados usualmente nas lavouras, nos jardins para controle de pragas e para controle de mosquitos ( Zica, dengue) matam as abelhas também. Elas são insetos e os inseticidas matam todos eles indiscriminadamente.

3. Fungos ou virus em colmeias;

4. Inseticidas do grupo Neonicotinoides são letais para as abelhas e colméias.

 

O que fazer para melhorar a vida das abelhas?

1. Plante flores, em especial as espécies nativas que alimentam as abelhas oferecendo seu pólen e nectar.

2. Evite usar pesticidas para controlar as pragas da casa e do jardim. Dê preferencia para produtos que não causem danos nem poluem o meio ambiente. Veja no final deste post links com  algumas dicas de controle ecológico.

3. O produto Fipronil que se usa no Brasil  para controle de pulgas e carrapatos nos nossos pets, e também como produto tóxico na isca formicida, acabam indiretamente causando a morte das abelhas. Mas a gente vai fazer o que para matar as pulgas dos pets e controlar as formigas?

 

Flores alimentam as abelhas
Flores alimentam as abelhas

 Como controlar insetos e outras pragas no jardim sem danificar o meio ambiente, VEJA

Jardins verticais transformam muros e paredes

 

Praia do Rosa, em SC: plantas tropicais nas ruas e jardins

A vegetação da praia do Rosa, em Santa Catarina, é exuberante. As plantas tropicais abundantes em todos locais deixam o visitante extasiado. O mar e a lagoa são a atração principal emoldurados pela diversidade de espécies da mata atlântica e de espécies tropicais que encantam devido às flores, cores, perfumes e formatos. Estão plantadas em toda parte: nas ruas, caminhos e jardins da praia do Rosa.  Lá se pode cultivar muitas espécies tropicais que aqui no Rio Grande do Sul  sofrem e até morrem com o frio e com as geadas (a geada “queima” a planta). As plantas das fotos a seguir são de fácil cultivo, adaptadas e resistentes.

Foto: Helena Schanzer - caminhos no Rosa
Foto: Helena Schanzer – caminhos no Rosa – Solar do Mirador Exclusive resort

A convite do www.deuochic.com fomos conhecer os jardins da Solar Mirador Exclusive Resort.  Os jardins são formados por plantas tropicais, algumas nativas e outras exóticas. Bromélias de várias espécies, marantas, bananeiras, palmeiras, samambaias e dracenas  formam exuberantes jardins como vemos na fotos acima e abaixo.

Foto: Helena Schanzer jardim -Solar Mirador Resort-Praia do Rosa/SC
Foto: Helena Schanzer jardim -Solar Mirador Resort-Praia do Rosa/SC.

O Solar do Mirador Exclusive Resort da praia do Rosa tem uma área de mata nativa preservada e ocupa apenas 5% do total. O projeto da pousada é do arquiteto Mario Quintana e o de paisagismo é do agronômo Kiko Simch.

Foto: Helena Schanzer – bromélia na árvore no jardim do Solar Mirador.

Nas ruas da praia do Rosa o arbusto malvavisco é muito usado como cerca viva. O   Malvaviscus arboreum – malvavisco*,  originário do México e norte da América do Sul , chega a 3 metros de altura. O pássaro beija-flor visita muito as flores vermelhas do malvavisco para sugar o néctar. Esta planta não tolera geadas.

Foto: Helena Schanzer - Flor do malvavisco - muito visitado por beija flores
Foto: Helena Schanzer – Flor do malvavisco – muito visitado por beija flores

No outono, a floração que mais chama a atenção  na paisagem da região é um arbusto de flor amarela que parece uma margarida amarela enorme. Pesquisei e descobri que não é nativa do local, é uma planta de origem mexicana que se adaptou bem demais e se alastra por tudo.

planta nativa flor amarela- Tithonia diversifolia - girassol mexicano- México
Arbusto com  flor amarela- Tithonia diversifolia* – girassol mexicano- México
Foto: Helena Schanzer  margaridas amarelas
Foto: Helena Schanzer -Tithonia diversifolia* – girassol mexicano

Uma planta que cobre os muros com vigor é a Tumbergia grandiflora*, tumbérgia roxa, trepadeira de flor roxa resistente e nativa da Índia.

Foto: Helena Schanzer - caminhos da praia do Rosa
Foto: Helena Schanzer – caminhos da praia do Rosa
Foto: Helena Schanzer - Tumbergia grandiflora
Foto: Helena Schanzer – Tumbergia grandiflora
Foto: Helena Schanzer  - Bananeiras no jardim do Village Rosa -Praia do Rosa - imbituba/SC
Foto: Helena Schanzer – Bananeiras no jardim do Village Rosa -Praia do Rosa – Imbituba/SC

 

 

*Plantas ornamentais no Brasil  Arbustivas, herbáceas e trepadeiras. Harri Lorenzi e Hermes M. de Souza. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2001.