Arquivo da tag: temperos

Já pensou plantar uma horta em alto mar ? A Familia Schurmann planta!

Acompanho a Familia Schurmann há anos e suas aventuras em alto mar. Acho fascinante. Primeiros brasileiros a dar a volta ao mundo de veleiro, os Schurmann já cruzaram os 3 oceanos e 7 continentes do planeta. Começaram em 1984, quando deixaram a segurança da vida em terra firme em busca de um sonho vivido em família. A embarcação chamada de veleiro Kat está agora na Indonésia, na Expedição Oriente. Estava apreciando as fotos e videos das viagens dos Schurmann e um detalhe especial me chamou a atenção: eles cultivam uma horta no barco em alto mar. Quero mostrar para vocês como é a horta desta família aventureira e carismática. A Heloisa Schurmann gravou o video a seguir especialmente para o meu Blog onde conta sobre a horta a bordo e incentiva o cultivo de temperos.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=hIzV1NQTjDg]

 

A Heloisa contou que eles tem horta orgânica desde que moravam em Florianópolis  é que uma delícia colher os temperos  frescos.

10389199_545399032271203_4314185813176633987_n
Horta com temperos no barco da família Schurmann – Foto: Divulgação Facebook

Eu tinha muita curiosidade sobre o cultivo da horta a bordo do Veleiro Kat e a velejadora Heloisa dedicou seu precioso tempo para esclarecer minha perguntas enquanto navegava para a Malásia. Acompanhe a entrevista:

J.H Quais espécies vocês plantam? Onde conseguem a terra para plantar?

Heloisa: – Plantamos temperos tais como manjericão, salsa, pimenta vermelha, alecrim, cebolinha, menta, aloe vera, coentro, hortelã, açafrão etc.
Compramos terra orgânica, e depois mantemos com o adubo que produzimos em nossa própria composteira. Assim, temos uma terra sempre muito bem nutrida.

até na Antartica tinhamos ervas frescas  foto Familia Schurmann divulgação
Até na Antartica tinhamos ervas frescas foto Familia Schurmann divulgação

J.H. Como irrigam a horta?

Colocamos água um vez por dia no final da tarde. O vaso tem uma boa drenagem e mantém a horta com uma boa umidade.

J.H Quais as dificuldades do cultivo da horta em alto mar?
Heloisa: – Com cuidado, os temperos crescem bem. Alguns mais do que outros. A dificuldade fica por conta de que, as vezes, um tempero acaba e temos dificuldade de encontrar algo similar que substituía, já que estamos passando por países tão diferentes dos nossos.

J.H: Porque cultivam neste vaso de metal com tampa?  Porque a tampa é azulada e não é transparente?
Heloisa: – Por estarmos no mar, fizemos o vaso em aço inox com um cano embaixo para escoar a água. Ela é fechada para proteger contra o vento e as ondas. A tampa é transparente, mas possui uma proteção de “sombrelit”, uma tela interna que protege contra o sol forte ou frio excessivo. No topo da tampa temos um painel solar com um ventilador que mantém a horta arejada.

10469704_742174452593659_4622533475786556890_n
Horta orgânica no barco da família Schurmann foto: Divulgação

J.H: Como controlam as pragas e doenças da horta?

Heloisa: – Por ser um espaço pequeno não temos pragas. O que ajuda também é o fato da horta poder ser fechada quando acharmos necessário. Assim, evitamos que as pragas ou doenças.

J.H: Qual a diferença que você , Heloisa, percebe entre cultivar uma horta em alto mar e na terra firme?

Heloisa: – Não vejo nenhuma diferença nos cuidados, pois são os mesmos, mas temos mais diversidades de temperos em virtude dos países que visitamos.

12294715_754616348016136_7279169935483828500_n
Horta orgânica da família Schurmann – foto: Divulgação

Plantar uma horta quando está viajando em alto mar tem peculiaridades. Cada país tem barreiras a entrada de produtos fitossanitários para evitar contaminação de microorganismos. Assim, quando o barco dos Schurmann viajou para a Nova Zelândia e para a Austrália tiveram que se desfazer da horta em função das restrições dos países. Na Nova Zelândia não é permitida a entrada de nenhuma planta ou semente.

Então, se é possivel fazer horta em alto mar, mais fácil ainda plantar uma horta em terra firme na sua casa! Para saber mais sobre a última viagem da família Schurmann no Oriente, entre em www.expedicaooriente.com.br Para conhecer a história da Familia Schurmann visite o site: http://www.schurmann.com.br

Aprenda AQUI  a  plantar seus temperos

Faça uma horta na sua casa

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

Dá para cultivar hortaliças, temperos e frutíferas em casa

Vou fazer um desafio aos nossos leitores, já pensando na primavera, estação em que tudo floresce. Minha sugestão requer apenas um pouco de planejamento e vontade. E dará muita satisfação e saúde pra você.  A segurança alimentar e a sustentabilidade são tendências para melhorar a qualidade de vida de quem mora nas grandes cidades. Plantar em casa seus próprios legumes, verduras, frutas e temperos tem um imenso valor! Plante sua horta! Basta ter sol, água, um punhado de terra e sementes de qualidade e voce pode ter sua horta em casa.

lettuce-54132_1280
Pé de Alface -folhas jovens são 40% mais nutritivas foto: Pixabay

O espaço pode ser limitado, o suficiente para comportar alguns vasos e floreiras.  O fundamental é ter luz direta do sol e água, o resto é por conta da natureza. O ideal é uma sacada ou até mesmo um terraço.

Você já imaginou chegar a hora da refeição e poder colher sua própria salada orgânica?  Esqueça aquela salada guardada no refrigerador há dias.  Arme-se com uma tesoura e vá direto na sua horta colher alface, rúcula, manjericão, tomatinhos-cereja e umas folhinhas de hortelã para temperar tudo.  Sua salada fresquinha, limpa e sem agrotóxicos, com um sabor inigualável cultivada em casa!

fruit-924937_1280
Hortaliças podem ser cultivadas em casa Foto; Pixabay

Opções não faltam:

Salsinha, rabanete, cenoura, tomate.

Temperos: manjericão, salvia, alecrim.

Chás: cidró, erva -cidreira, melissa, hortelã, poejo. 

Frutas como: limão, bergamota, pitangueira, jabuticabeira, uva, todas em vasos.

Se você tiver um pouco mais espaço ainda dá para plantar de quebra umas abobrinhas, pepinos e chuchu. 

 

green-930889_1280
Folhas jovens ou Baby-leaf foto: Pixabay

Um truque muito legal: Dá para colher as folhas jovens, basta semear espécies que são adequadas para serem colhidas jovens. Por exemplo: alfaces e rúculas podem ser colhidas com 20 dias de vida e são bem tenras. As “folhas-jovens” tem 40% mais de nutrientes que quando a planta atinge o final do seu ciclo para ser colhida. Gostou? A ideia é ter tudo mais saudável, barato, sempre à disposição na sua mesa e com um sabor especial, sem contar a terapia, o relax.

lemon-110693_1280
Limoeiro siciliano foto: Pixabay

Se você tem apenas alguns minutos por semana você dá conta do recado. Mais uma coisa, uma irrigação automatizada também ajuda. É uma dica do tipo faça você mesmo ou chame um profissional para dar uma orientação técnica. E ainda pode virar uma atividade lúdica e divertida com a participação dos seus filhos ou netos. Bom proveito!

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

 

Veja temperos e aromáticas cultivadas na sacada

Dá para ter temperos e ervas aromáticas em vasos na sacada. Nesta sacada que fiz na semana passada, pega sol o dia todo. A sacada fica no 12° andar e tem uma vista linda para o rio Guaíba. Lá do alto, as plantas recebem chuva, vento e muito sol. Isto é bom para as plantas, elas precisam de sol e chuva para crescer. Precisam também de solo fértil e de água quando o clima estiver seco.

temperos
Temperos como manjericão, hortelã, salsinha e cebolinha na sacada  foto: Helena Schanzer

Nos vasinhos são cultivados manjericão, salsinha, hortelã e cebolinha. São espécies simples de cuidar. As suculentas também foram plantadas porque são resistentes e adoram sol.

temp 1

Os vasos foram dispostos sobre uma caixa de madeira que esconde os condensadores dos aparelhos de ar condicionado.

temperos
cebolinha, manjericão, salsa são temperos fáceis de ter na sacada em vasos

Para a montagem dos vasos, o engenheiro agrícola Egon Zounar e equipe deixaram tudo limpo e arrumado após fazermos o jardim na sacada do apartamento. Abaixo dá para ver os materiais usados.

plantio temp.

 

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

Jardinagem + Gastronomia + Terapia = Gastroterapia + qualidade de vida

A Gastroterapia é uma atividade de reconexão e reflexão, mais do que uma aula de jardinagem ou culinária. Para saber sobre este tema tão interessante e atual, conversei com a terapeuta Michele Valent que mora em Teutonia e lá desenvolveu a “Gastroterapia”. Michele Valent é ativista do movimento Slow Food, médica psiquiatra, com mestrado em psicopatologia do trabalhador e cozinheira profissional formada pelo Italian Culinary Institute for Foreigners – ICIF/UCS.

Gastroterapia
Gastroterapia por Michele Valent

O que é esta união da gastronomia com a terapia?

Michele: É um exercício de educação emocional através da jardinagem e da culinária. Com um tema diferente a cada encontro, os participantes elaboram e degustam uma refeição completa – da entrada à sobremesa, da horta ao prato.
Uso a gastronomia como veículo para trabalhar e para responder algumas das demandas mais prementes do homem contemporâneo. Começo com o plantar, o cultivar e o colher, e o espaço da agricultura na vida urbana. Tento resgatar essa possibilidade, reavivar o laço com uma origem rural não muito distante, que sobrevive na memória afetiva e na vontade. Lanço a provocação e convido as pessoas a investigarem os arquivos vivos de suas culturas, as pessoas mais velhas, os camponeses conhecidos.  Observamos que muitas pessoas não percebem de onde vêm os alimentos que comem e não dão a importancia devida a alimentação. E tem várias pessoas que são muito informadas quanto à alimentação e vem para saber mais.

Colhendo os ingredientes que serão cozinhados  Foto: Michele Valent
Colhendo os ingredientes que serão cozinhados Foto: Michele Valent
Almoço servido com o que o grupo colheu na horta e  cozinhou   Foto: Michele Valent
Almoço servido com o que o grupo colheu na horta e cozinhou Foto: Michele Valent

Como estabeleces estas conexões?

A produção do alimento ressignifica o trabalho, porque refaz o link direto entre trabalhar e comer, recorda à pessoa o motivo de levantar todos os dias e tolerar tantas frustrações. E por aí, vai. No cultivo e na cozinha, trabalho a prática da atenção plena, do estar no momento presente como antídoto contra a ansiedade moderna. Trabalho a tolerância, a paciência, o zelo e outras tantas virtudes esquecidas em nossa cultura da pressa e do descartável. Trabalho a comensalidade, o ser anfitrião e matriarca/patriarca – o agregar a família ao redor do fogo do lar ou da mesa, sem exclusões.

12419222_999222293454744_4527150144419373317_o
Grupo animado colheu, cozinhou e comeu vegetais direto da horta Foto: Michele Valent
Comer juntos após colher e cozinhar é um enorme prazer  Foto: Michele Valent
Comer juntos após colher e cozinhar é um enorme prazer Foto: Michele Valent
Enfeitando com flroes comestíveis
Enfeitando com flores comestíveis: amor perfeito

Como funcionam os encontros de gastroterapia?

É difícil, depois de uma certa idade, formar novos amigos – e comer juntos, preparar uma refeição – facilita esse movimento. Pessoas de formações muito diferentes, vindas de diferentes pontos, se reúnem para lembrar, para trocar e para conviver. Após o encontro, quando retornam para suas casas, trazem de volta à mesa os familiares sugados pelas telas dos eletroeletrônicos. Enfim, são outros valores: contra o consumo, micropolítica na escolha do que se come, na valorização do pequeno produtor, a gastronomia como ato artístico, cultural, nutricional, químico e agrário.

gastroterapia
Cozinhando juntos Foto: Michele Valent
Venha trocar todos os livros de dieta por alguns princípios simples
Venha trocar todos os livros de dieta por alguns princípios simples Foto: Michele Valent
regras para aumentar sua inteligencia gastronomica
Regras para aumentar sua inteligencia gastronômica Foto: Michele Valent
o cantinho das apiáceas   salsas, aipo, endro e coentro
Na horta, o cantinho das apiáceas como  salsas, aipo, endro e coentro Foto: Michele Valent

Quer saber mais informações , olha o link   https://www.facebook.com/notes/gastroterapia/perguntas-mais-frequentes-sobre-a-gastroterapia/937312929645681

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

Cultive saúde no jardim com plantas medicinais e temperos

Sabia que você pode cultivar saúde no jardim com  plantas medicinais fáceis de cuidar? Alecrim,  manjericão, cidró, hortelã  são algumas delas.  Para cultivá-las é necessário sol direto, terra fértil, vaso ou floreira (ou pode plantar na terra direto), água para regar e  mudas  das plantas que se compra na floricultura ou no supermercado. Com poucos cuidados você terá folhas frescas e sem agrotóxicos para fazer seu chá medicinal a hora que quiser.  Estas plantas têm as folhas perfumadas. Se tiveres dúvida de qual planta se trata, pegue um raminho e amasse com os dedos. Pelo aroma exalado pela folha vai conseguir identificar a espécie. 

Alecrim – tempero e aromática foto: Helena Schanzer

 Alecrim

O alecrim (Rosmarinus officinales) é um arbusto ramificado que gosta de solo seco entre uma rega e outra, além de solo arenoso. É bastante resistente. Muito usado na culinária, na farmácia e perfumaria. Tem propriedades estimulantes, usado para dar força e ânimo para quem sente fraqueza e exaustão.

Flor do alecrim

 Hortelã

A *hortelã (Mentha spicata) é muito usada para fins medicinais. Toda a parte aérea da planta é aproveitada.  É apropriada para  mal estar estomacal, descongestionante nasal e antigripal. O óleo essencial é amplamente usado na farmacologia e cosmetologia. Usam-se as folhas frescas para saladas e temperos.

Hortelã, menta
Foto: Helena Schanzer – Mentha spicata – hortelã

 Manjericão

O *manjericão  (Ocimum basilicum) é uma planta herbácea de 30 a 50 cm de altura, cultivada em hortas para condimento e fins medicinais.  Na forma de chá, serve para tratar sintomas da gripe e para gargarejo. As folhas frescas são saborosas em saladas e como tempero.

Foto: Helena Schanzer – Manjericão

 

Capim cidró

O *capim cidró ou capim limão (Cymbopogon citratus) é uma herbácea com folhas longas e perfumadas. Usada para fins industriais e medicinais. O chá das folhas tem ação calmante e relaxante, induzindo naturalmente ao sono. O óleo é usado como aromatizador e as folhas novas usadas na culinária oriental ( tailandesa).

Foto: Pixabay  - capim cidró ou capim limão
Foto: Pixabay – capim cidró ou capim limão

 

Escolha a espécie de planta medicinal que quer plantar.  Prepare um vaso com dreno  e uma mistura de terra com composto orgânico e areia.

Foto: Pixabay  - Para plantar  ervas é necessário  substrato e pá de jardim
Foto: Pixabay – Para plantar as ervas precisa de substrato e pá de jardim

 

Siga o passo a passo abaixo. Por fim coloque  a muda no centro do vaso, cubra com composto orgânico e firme ela com as mãos na terra.  Molhe bastante e aguarde a colheita das folhas perfumadas!

Veja no link: passo a passo para plantio de temperos em vaso.  

 

 

Como preparar o dreno do vaso:

Espécies das plantas medicinais com flores e detalhes: hortelã, alecrim, manjericão e capim cidró. Todas tem flores melíferas muito visitadas pelas abelhas e borboletas.

 

* Plantas medicinais no Brasil, Nativas e exóticas. Harry Lorenzi e F.J. Abreu Matos. Instituto Plantarum, 2002.

 

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

 

Vamos plantar rúcula em casa sem agrotóxicos?

Cultivar rúculas orgânicas em casa é bem fácil. Tudo o que você precisa é de sol, de terra fértil ( composto orgânico), de boas sementes e de água. As sementes de rúcula são encontradas no setor de jardinagem dos supermercados e nas floriculturas. A rúcula é uma hortaliça folhosa verde escura rica em nutrientes, deliciosa para usar em saladas.

RÚCULAS
Rúcula orgânica plantada no jardim de casa – foto: Helena Schanzer

Veja o passo a passo do plantio:

1. Fazer a sementeira: Você pode comprar uma ou reciclar umas forminhas de silicone e furar embaixo, como eu fiz, olha a foto a seguir. Molhe diariamente ( 2 x dia). A sementeira é pequena e a água seca logo. Siga as instruções de plantio da embalagem da rúcula. Em uma semana germinam os primeiros brotinhos. Este mesmo processo de plantio é usado para plantar salsinha, alface, couve e outras folhosas.

sementeira com rúcula
sementeira com rúcula foto: Helena Schanzer
Rúcula plantada em sementeira reciclada de forminha de assar de silicone foto: Helena Schanzer

2.  Quando a muda estiver com tamanho de uns 10 cm, faça  o transplantio para o local definitivo. A terra deve ser fértil, um composto orgânico dá excelentes resultados. Molhe bastante antes de retirar a muda da sementeira e depois de plantar regue bem. Regue com jato de água tipo neblina para não danificar as folhas jovens.

Mudinha de rúcula já na terra foto: Helena Schanzer

 Saiba com que frequência e qual a quantidade que as plantas precisam

3.  Faça uma “cobertura morta” ( na foto, usei folhas secas das árvores)  no canteiro para proteger o solo, manter a umidade e a vida do solo.

rúcula 4
Rúcula com “mulching”-cobertura morta Foto: Helena Schanzer

Vá colhendo as folhas da rúcula conforme voce usar. Colha as folhas de fora, mais de baixo que são as que vão ficando “velhas”. Use uma tesoura apropriada para não danificar a planta. Em 20 dias você estará colhendo folhas de rúculas orgânicas na sua casa, pode plantar em vaso ou floreira que dá certo também.

Sempre que aparecer uma folha da rúcula amarelada nas bordas, retire para não contaminar as demais. E, se as lagartas atacarem as rúculas, saiba o que fazer, clicando AQUI  usando  produtos não tóxicos que não poluem o ambiente e nem a sua saúde.

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

O que fazer quando suas plantas estão com pragas: cochonilhas

Minha colega blogueira, a jornalista Sara Bodowsky, do Blog Roteiro da Sara, cultiva temperos e chás na sacada do apartamento. Ela adora colher temperos frescos para usar na comida, no chá, no chimarrão e em infusões. Cultiva manjerona, erva-cidreira, lavanda, manjericão, salsinha e cebolinha. Tudo isto plantado em vasos pendurados na sacada ensolarada. Um dia destes apareceram nas plantas uns bichinhos denominados de cochonilhas, parecia que estavam cobertas com uma farinha branca.

vasos na sacada com temperos
Vasos na sacada com temperos foto: Sara Bodowsky

Sara lembrou do meu Blog, que eu poderia ajudá-la:    “As plantinhas da minha sacada (chás e temperos) estão lotadas daquele negócio branquinho, tipo mini bolinhas de algodão que grudam nas folhas e caules. Que eu faço? O que é isso?”   Calma Sara, te ajudo!!!  Manda fotos das plantas que analiso! Vejam as fotos, você se identifica com as praguinhas que estão incomodando as plantas? Vou dar dicas de controle bem simples e sem uso de venenos. E também como dar uma força para elas com adubação.

comigo ninguem pode com cochonilhas
Planta Comigo-ninguém-pode infestada de cochonilhas – Neste caso, dar um banho nas folhas! Foto: Sara Bodowsky

 

farinhenta
cochonilha farinhenta

 

Opções para controle da cochonilha farinhenta ( e dos demais tipos também):

1. Prepare com 1 litro de agua e um pedaço de sabão de coco ou glicerina (medida: tamanho de uma colher de chá) uma calda leitosa desmanchando o sabão na água. Leve sua planta para o tanque. Pegue uma esponja macia e vá passando esta calda nas folhas , depois lave as folhas com água corrente, limpando. Aas plantas adoram tomar um banho de água de vez em quando, dá um revigorada nas plantas não pegam chuva.

2. Outra maneira é fazer a calda acima descrita, mas diluir com um pouco mais de água e pulverizar nas partes infestadas na planta. Na frente e no dorso das folhas.

3. Usar óleo mineral ( compra-se em floriculturas)  e diluir a 10% anágua e pulverizar nas folhas. Não usar para comer  nem para chás por um período de uns 15 dias.

4. Pulverizar óleo de Neem, feito da semente de uma planta indiana.

5. Se a quantidade de cochonilhas for pequena, pegue um cotonete e álcool e vá tirando uma a uma com o cotonete. Super simples e eficiente!

6. Não use inseticidas nestes casos porque voce vai comer a planta e porque a quantidade de bichinhos é pequena, dá para contornar com as soluções acima.

cochonilha farinhenta
cochonilha farinhenta Foto: Sara Bodowsky

7. Não indicado: usar produtos vendidos e recomendados como inseticidas em floriculturas a base de “Deltametrina”, porque não devem ser ingeridos, inclusive está indicado na embalagem ( não aplicar em hortas e pomares), mas os vendedores não leem. Impressionante!  Olha o que indicaram para a Sara em uma floricultura, e olhem como ficaram queimadas as folhas das plantas. E ainda por um tempo ela não deverá colher as folhas até eliminar o produto dando banhos nas folhas. NÃO usem estes produtos em casa, são tóxicos para você e para os seus pets.

IMG-20160113-WA0010
veneno- deltametrina – não deve ser usado como inseticida dentro de casa

É importante dar  “comida”  para as plantas através da adubação:

* As plantas precisam de nutrientes para crescer que são retirados dos adubos como os compostos orgânicos que fornecemos para elas. Acrescente sobre a terra do vaso uma camada fina de composto orgânico comprado em sacos no supermercado. Prefira adubos orgânicos que são elaborados com matéria prima vegetal ( por ex: resíduo industrial de celulose. Saiba mais aqui.

* A água deve ser fornecida na medida certa: somente regue quando a terra começar a ficar seca. O excesso de umidade no solo causa doenças nas plantas como fungos e bactérias. Veja aqui como dosar a água nas plantas.

* Retirar as folhas secas com uma tesoura. E dar uma podada com tesoura nas pontas das plantas ( uns 2 dedos). Não se preocupe, elas rebrotarão com mais vigor após o reforço de nutrientes, a limpeza e a poda.

 

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

Suco de couve e hortelã cultivadas no jardim é super saudável

Um dos sucos que considero mais saudável é o de folhas de couve-manteiga, folhas de hortelã e água de coco. Para mim é Detox total! Eu planto no meu jardim vários pés de couve e hortelã.

Hortelã, menta
Hortelã em flor foto: Helena Schanzer

Veja como plantar em:  Plantando temperos e limão em vaso

Corto as folhas maduras conforme vou utilizando, e o pé de couve fica ali crescendo cada vez mais.  Importante é usar uma tesoura de poda ou mesmo de cozinha para coletar as folhas. Assim não arrebentamos o caule e a fibra da planta, evitando a entrada de patógenos. Importante: não uso nada de agrotóxicos, quando aparece alguma lagarta comendo a folha da couve, com uma luva , eu a esmago com o dedo! Não tem nojinho 🙂  Ou uso controle ecológico, veja aqui.  Prefiro isto do que usar pesticidas.

Quer saber a receita do suco e como plantar a couve-manteiga e a hortelã?  É bem simples: Veja agora a matéria da data de abril/2015:

 

Você quer uma receita de saúde e bem estar?  Plante couve-manteiga e hortelã no jardim de casa ou em vasos e floreiras na sacada ensolarada do apartamento.  Com estes dois vegetais, dá para fazer suco verde sem agrotóxicos e com custo zero. Estas espécies são resistentes, de fácil crescimento e não ocupam muito espaço. Você precisa de sol direto e local arejado.

Foto: Wikimedia  Mentha  - Hortelã
Foto: Wikimedia – Mentha  spicata- Hortelã

Você precisa de um local com sol por 6h por dia, no mínimo  para os vasos/floreiras de sol direto e ar. Definido o local, você vai precisar de composto orgânico (terra) de boa qualidade e vaso ou floreira de 20 cm de profundidade e largura, no mínimo. Plante a couve e a hortelã  em mudas, regue em dias alternados e em algumas semanas você estará colhendo estes vegetais frescos e sem agrotóxicos na sua casa!

Foto: Helena Schanzer  - Couve manteiga
Foto: Helena Schanzer – Couve manteiga

A receita do suco verde é simples: Lave 3 folhas de couve manteiga, coloque no liquificador sem a parte grossa do talo, coloque um punhado de folhas de hortelã, gelo e 1 copo de água ou de água de côco.  Bata por uns minutos e saúde!

juice-94945_640 pixabay
Foto: Pixabay – suco verde

A couve e a hortelã são bem adaptadas ao clima frio e ao calor também. Gostam de solo bem drenado e regas em dias alternados. Plante a couve no centro do vaso e as hortelãs na volta. A foto abaixo mostra uma hortinha com floreiras onde se plantou temperos. Dá para fazer igual com couve manteiga e hortelã.  Sabia que hortelã se faz muda com um pedaço da raíz? Mas isto já é assunto para outro Post.

Foto: Helena Schanzer
Foto: Helena Schanzer Hortinha em floreiras com temperos. Dá para fazer com couve e hortelã

 

Dica: Você encontra sementes e mudas de couve manteiga e  hortelã para fazer sua horta  em floriculturas e  supermercados.

Dica 2: Fique ligado porque lagartas adoram comer couves-manteigas. Saiba como acabar com elas sem venenos  em lagartas !  Eu coloco luvas e quando são em pequena quantidade, esmago com o dedo. Simples assim.

Dica 3: Use luvas de borracha ou látex para mexer no solo/terra/composto para evitar a contaminação das unhas com os fungos que fazem parte da microvida do solo e da terra.

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter