Arquivo da categoria: Jardins pelo Mundo

Veja a colheita de laranjas nas ruas de Sevilha

Nas ruas da cidade Sevilha, na Espanha, são cultivadas árvores de laranja-azeda. A prefeitura colhe os frutos nesta época do ano e vende para uma fábrica local fazer geléia de laranja-azeda.  As flores das laranjeiras são perfumadas e chegam a florescer duas vezes por ano, deixando um aroma maravilhoso na cidade.  Que ideia inspiradora para  nossas ruas, praças e parques!   💡    🙂

Árvore de laranja azeda na rua em Sevilha  foto Dora Schanzer
Árvores de laranja-azeda na rua em Sevilha foto: Dora Schanzer

As árvores de laranja-azeda, Citrus aurantium, são plantadas nas calçadas, praças  parques e ruas de Sevilha. As flores são muito perfumadas e usadas em perfumaria, na época da floração o aroma é enebriante. Os frutos da laranjeira azeda são usados na preparação de doces, geleias e para extração de óleo.

colheita de laranja nas ruas de Sevilha  foto: Dora Schanzer
Colheita de laranja nas ruas de Sevilha foto: Dora Schanzer

Existe uma grande polemica na Espanha em relação ao consumo destas laranjas cultivadas nas ruas poluídas. Na geléia elaborada usando a casca destas laranjas, tal casca  fica exposta  absorvendo todos os gases e produtos tóxicos derivados da poluição urbana, como o chumbo e os metais pesados das emissões dos veículos.

Ruas com árvores de laranjas amargas em Sevilha  foto Dora Schanzer
Ruas com árvores de laranjas amargas em Sevilha foto: Dora Schanzer

A geléia é um produto do sul da Espanha e é exportada. A melhor embaixadora deste produto é a Rainha da Inglaterra, Isabel II, ou Elizabeth II, que no café da manhã somente come esta geléia. A matéria prima se encontra em Sevilha, con 20.000.000 quilos/ano, seguida por outras cidades espanholas, até atingir 24.000 toneladas.

Colheita de laranjas-azedas nas ruas de Sevilha  foto Dora Schanzer
Colheita de laranjas-azedas nas ruas de Sevilha foto Dora Schanzer

Dica para fazer a Geléia de laranja-azeda não ficar amarga:

1. Tirar toda a parte branca da casca da fruta e descartar;

2. Deixar as sementes de molho, depois retirar a película e usá-la para engrossar a geléia.

As árvores de laranja-azeda, plantadas nas calçadas foto: Dora Schanzer
As árvores de laranja-azeda, plantadas nas calçadas foto: Dora Schanzer

Atualizo o post com comentário de um leitor que segue o blog, que perguntou como é a legislação da cidade de Porto Alegre em relação ao plantio de árvores exóticas como as laranjeiras nas ruas. Pesquisei no Plano de arborização urbana de Porto Alegre e vejam o que diz:

Art. 7º- Quanto a melhoria da qualidade de vida e equilíbrio ambiental: I – utilizar predominantemente espécies nativas regionais em projetos de arborização de ruas, avenidas e de terrenos privados, respeitando o percentual mínimo de 70 % de espécies nativas, com vistas a promover a biodiversidade, vedado o plantio de espécies exóticas invasoras.

Então, se pode plantar laranjeiras nas nossa ruas! Mas lembre-se sempre de plantar as nossas frutíferas nativas como o araça-vermelho e a pitangueira que são frutas deliciosas e atraem a avifauna silvestre!

Veja:  como plantar frutíferas em vasos

Saiba: como a flor da laranjeira se transforma em fruto

Jaboticabeira é uma fruta deliciosa!

Floresta de bolso: saiba o que é!

 

Porque um Jardim Botânico é importante?

Toda cidade que se preze no mundo tem um jardim botânicoTemos flora e fauna nativa riquíssima! O jardim botânico é importante na educação ambiental e tem recantos e espécies incríveis: tem o jardim dos perfumes, o jardim sensorial, um bosque de ciprestes de inúmeras espécies, além de outros.

Fernando Gomes - Agencia RBS
Educação ambiental no Jardim Botanico – foto: Fernando Gomes – Agencia RBS

Na minha vida o jardim botânico de Porto Alegre teve uma importância imensa. Quando eu tinha 16 anos, fiz o meu primeiro curso de jardinagem no Jardim Botânico de Porto Alegre. Foram tardes ensolaradas de uma primavera há décadas atrás quando eu, junto com minha mãe, aprendemos como reproduzir plantas, cuidar e plantar. Conhecemos diversas espécies e passeamos pelos diferentes recantos. Aquela semana de estudos no Jardim Botânico consolidou em mim a paixão que já tinha pelas plantas e me fez decidir cursar agronomia. Este curso acabou norteando minha trajetória profissional. Eu frequento jardins botânicos, sou fascinada por eles. Os jardins botânicos são importantes instituições que abrigam coleções documentadas de plantas vivas  e desenvolvem pesquisas científicas, além da educação e da conservação e exposição de espécies vegetais. No jardim botânico são cultivadas muitas plantas raras que só tem ali.  As pessoas nem imaginam, mas no jardim botânico de Porto Alegre, existe um  jardim para cegos, onde os deficientes visuais podem usar o sentido do tato e do olfato para perceber e sentir as plantas.

jardim botanico de Porto Alegre    Reprodução de foto de Tetraktys  wikipedia
Educação ambiental no Jardim Botânico de Porto Alegre- Reprodução de foto do Tetraktys wikipedia

O Jardim Botânico de Porto Alegre possui uma área total de 39 hectares de parque. No local, podem ser compradas espécies de mudas nativas do Rio Grande do Sul (frutíferas e ornamentais) e medicinais, produzidas no próprio viveiro, no banco de sementes do Jardim Botânico. O parque realiza atividades educativas e culturais que objetivam a conscientização da flora nativa e da biodiversidade. Conforme o site da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, conta com aproximadamente 6 mil exemplares separados em 18 coleções do arboreto e nove especiais, localizadas em estufas e vasos. As coleções são principalmente de espécies raras e nativas do Rio Grande do Sul, e algumas que só ocorrem no estado. Em conjunto com o Museu de Ciências naturais, o órgão atua conjuntamente na coordenação da elaboração da Lista Oficial de Espécies Ameaçadas do RS.

Jardim botanico Porto Alegre por Tetraktys -  Wikimedia Commons
Jardim Botânico de Porto Alegre Foto de Tetraktys – Wikimedia Commons

De acordo com dados de 2012 da Rede Internacional de Jardins Botânicos (Botanic Gardens Conservation International – BGCI), estima-se que existam, hoje, cerca de três mil jardins botânicos e arboretos distribuídos em 180 países. São instituições que cultivam, coletivamente, mais de cem mil espécies de plantas, representando quase um terço de todas as plantas conhecidas no mundo.

Jardim Botânico de Porto Alegre - Foto divulgação FZB -por sergiobavaresco
Jardim Botânico de Porto Alegre – Foto: divulgação FZB -por Sergio Bavaresco

 

Veja Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook/Instagram/Twitter

 

 

 

 

 

Jardins feitos por amor!

O amor e a paixão inspiraram a criação de vários jardins e monumentos espetaculares pelo mundo. Em homenagem ao Dia dos Namorados apresento 3 obras de jardins fantásticos pela grandiosidade e beleza:  Jardins de Shalimar (India), Taj Mahal (India) e os Jardins suspensos da Babilonia (Mesopotamia/atual Iraque).

Os jardins de Shalimar em Srinagar, India, abrangem uma área de 12,4 hectares no Lago Dal de Kashmir.  É um lugar para relaxar e apreciar a natureza. A palavra Shalimar em sânscrito significa ‘morada do amor’. O Imperador Jahangir de Mogol construiu os jardins em 1619 e deu de presente para sua esposa Nor Jahan. O local hoje é um parque público.

Srinagar - Shalimar Gardens  Foto by Vinayaraj - Own work. Wikimedia Commons
Foto: Vinayaraj – Wikimedia- reprodução- jardins de Shalimar -Srinagar, India

O Palácio do Taj Mahal foi construído em nome do amor eterno. O Taj Mahal é um mausoléu situado em Agra, na Índia.  A obra começou em 1632 até 1652 e contou com a força de 20 mil homens trazidos de várias cidades do Oriente. O imperador Shah Jahan mandou construir o monumento de mármore branco em memória de sua esposa favorita, Aryumand Banu Begam, a quem chamava de Mumtaz Mahal “a joia do palácio”. Ela morreu após dar à luz ao 14º filho. Desolado com a perda, o rei construiu este enorme mausoléu para abrigar o corpo de sua amada e simbolizar o seu amor pela falecida esposa. É incrustado com pedras semipreciosas e sua cúpula é costurada com fios de ouro. É uma 7  Maravilhas do Mundo e reconhecido pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade.

Taj_Mahal_(Edited)
Foto: Common wikimedia – Taj Mahal na India – Jardins do entorno do masoléu

Os famosos Jardins suspensos da Babilônia foram construídos porque a esposa preferida do rei Nabucodonosor, Amitis, sentia saudades da sua terra natal. Então o rei construiu no seu palácio os famosos jardins em patamares para que a sua amada avistasse a paisagem montanhosa e as planícies da sua terra de origem. Os jardins são do século VI a.C., na Mesopotâmia, atual Iraque. A obra é considerada uma das 7 Maravilhas do Mundo Antigo, apesar de não se ter registros de sua existência em pesquisas arqueológicas. Eram formados por terraços construídos em andares, cada andar com +- 120 m², apoiados por gigantes colunas que chegavam a medir até 100 metros. Cada superfície era adornada com jardins botânicos que continham inúmeras árvores frutíferas, palmeiras, esculturas e cascatas.

- Jardins Suspensos da Babilônia by Maarten van Heemskerck
Foto: commons.wikimedia.org – Jardins Suspensos da Babilônia by Maarten van Heemskerck

 

Então, ficou inspirado para dar um presente inesquecível para o seu amor?

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

 

Na Feira de Milão a vegetação é o destaque

Meu colega blogueiro Roberto Majola (fotógrafo e publicitário) do blog DesignBox, esteve semana retrasada na feira internacional de Milão. Voltou cheio de novidades para contar. Compartilho com vocês o que é tendência na feira italiana de Milão quando falamos de plantas. Majola disse que estão presentes em todos os ambientes. Em todo lugar tem vaso com planta ou floreira e muita espécie tropical. E não são vasinhos pequenos e tímidos. São vasões, superlativos com árvores dentro das salas, frutíferas, espécies tropicais com folhas grandes , plantas que ocupam espaço. Claro que adorei a tendência. A vegetação faz muito bem para a energia do ambiente. Humaniza, embeleza e traz vida ao espaço.

A vitalidade de uma selva e a tranquilidade de um bangalô se unem no DEDON JUNGALOW Foto: Roberto Majola

O Designer Vincent Van Duysen que assinou o estande da DADA, um espaço de 400m2 criou um pátio central com oliveiras centenárias simbolizando a paz.  Molteni & C DADA é um dos principais fabricantes de móveis do mundo, que assina uma coleção de cozinhas exclusivas para Armani. Confere na foto abaixo, as oliveiras foram plantadas em vasos enormes.

vincent-van-duysen-appointed-as-the-new-creative-director-for-molteni-c-and-dada-en
Designer Vincent Van Duysen , novo diretor criativo da DADA   Foto: Roberto Majola

Em todos ambientes tinham plantas, principalmente nas cozinhas. As plantas humanizavam os espaços minimalistas e davam vida aos ambientes. As espécies usadas são figueiras, limoeiros, oliveiras, filodendros ( costela-de-adão), temperos, hortaliças e muita planta tropical de interior.

feira de Milão  foto  Roberto Majola
Feira de Milão – plantas em todos lugares foto: Roberto Majola

Veja como cultivar temperos em casa e em apartamento.

Móveis de cozinha com floreiras embutidas para plantar temperos   foto: Roberto Majola
Móveis de cozinha com floreiras embutidas para plantar temperos foto: Roberto Majola
Molteni-Salone-2016_32_HR-1024x683
Muitos temperos e frutas nas cozinhas, principalmente limão siciliano    Foto: Roberto Majola

 Saiba como cultivar árvores frutíferas em vasos.

Bambu nos ambientes Foto: Roberto Majola
Bambu nos ambientes Foto: Roberto Majola
_DSC3464b
Reciclagem e o verde foram destaques na feira     Foto: Roberto Majola
Vegetação por tudo   Foto: Roberto Majola
Vegetação por tudo Foto: Roberto Majola

Em termos de design, Roberto Majola destacou como tendência o uso de cores escuras nos ambientes e no mobiliário, muita lâmina natural e produtos sustentáveis. Uma forte tendência também foram ambientes multifuncionais para aproveitar melhor os espaços cada vez menores das casas.

DelTongo   Espaço multifuncionais   foto: Roberto Majola
Espaços  multifuncionais foto: Roberto Majola

O Design para mobiliário de áreas externas também foi muito valorizado.  O Majola preparou um video 360º para sentirem de perto o clima da feira.

Passeio Euro Cocina 2016

 

Quer saber mais sobre a feira de Milão? Confere no Blog Designbox

Veja dicas para  cultivar plantas em casa

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

 

 

 

Áreas verdes para lazer dos condomínios no litoral

As áreas verdes dos condomínios das praias no litoral proporcionam momentos de lazer incríveis.  Condomínios de casas em praias como  Xangri-lá possuem piscinas, tobogãs de água, lagos para passeios de esqui-aquático, caiaque: tem de tudo para se divertir e descansar na praia.

Condominio Lagos park- lago, ilha e tobogã  Foto: Helena Schanzer
Condominio Lagos park- lago, ilha e tobogã Foto: Helena Schanzer

Se não quiser ir até a beira do mar, tem praia artificial com areia do mar. E sem vento nordestão.

DSC00711
Praia artificial – Foto: Helena Schanzer

 

 A criançada não para um minuto!
A criançada não para um minuto!

DSC00716

 

DSC00720
Condominio Lagos park Foto: Helena Schanzer

 

Condominio Lagos park- lago   Foto: Helena Schanzer
Condominio Lagos park- lago Foto: Helena Schanzer

Veja plantas resistentes para cultivar no jardim da praia!

Conheça plantas nativas para plantar no jardim e atraia beija-flores!

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

 

Jardim na praia com plantas resistentes: inspire-se!

É possível ter jardim na casa da praia durante o ano todo, desde que voce escolha espécies resistentes. A proprietária desta casa selecionou plantas que não necessitam de muito cuidado para plantar no jardim.  Para dar cor no jardim, plantou flores como o gerânio vermelho em vasos. O arbusto de  jasmim conhecido como “Dama-da-noite” é cultivado para perfumar o ambiente a noite. Detalhes que dão o charme no jardim.

Piscina no Jardim de casa de praia - foto: Helena Schanzer
Piscina no Jardim de casa de praia – foto: Helena Schanzer

As espécies cultivadas no jardim são: Cica (Cycas revoluta) em grupos, Buxus sempervirens, jasmim e nos vasos gerânios vermelhos pendentes e petunias.

VARANDA COM FLORES
Varanda – Nos vasos Pleomene reflexa com petunias brancas e lilás – foto: Helena Schanzer

A casa tem arquitetura muito interessante.  Foi criada pelo decorador Renato Bing há décadas. A casa tem pé direito duplo, iluminação natural e é emoldurada pelo jardim. O projeto e jardim são inspiradores e fica aqui pertinho, em Xangrilá, no litoral. A varanda convida a relaxar em confortáveis sofás e poltronas.

Piscina no Jardim de casa de praia - foto: Helena Schanzer
Piscina no Jardim de casa de praia – foto: Helena Schanzer

O jardim original da casa foi repaginado e recriado pela proprietária da casa que adora flores e plantou em vasos petunias e gerânios.

Estas petunias foram plantadas de mudas da planta do ano anterior
Estas petunias foram plantadas de mudas da planta do ano anterior
DSC00654
Simetria e harmonia do estilo – foto: Helena Schanzer

A iluminação valoriza o jardim de noite.

Jardim de noite
Jardim de noite –  foto Helena Schanzer

 

Veja galeria de fotos do jardim – fotos de Helena Schanzer

 

Veja mais:  Saiba como cultivar gerânios e tenha flores sempre!

Quer ter frutíferas na sacada do apartamento? Clique aqui!

Suas plantas estão com uns bichinhos? Veja o são e o que fazer aqui

 

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

 

Burle Marx e seus jardins tropicais

O ícone do paisagismo Roberto Burle Marx  imprimia seu estilo nos jardins que criava. No Rio de Janeiro, quando visitei o Marina Barra Clube e deparei com o jardim logo vi que tinha a assinatura do Burle Marx. Os jardins do clube foram criados em 1983 e permanecem lindos 30 anos depois. O jardim tem espécies tropicais exuberantes como bromélias, palmeiras-triangulo, papiros, bouganvileas, alocasias, monsteras, entre outras espécies com grande impacto visual e  resistentes.

Vista jardins Burle
Jardins do Burle Marx no Marina clube na Barra – Foto: Helena Schanzer

O paisagismo tem espelhos d´água e vegetação aquática. Nota-se que alguns canteiros com espécies aquáticas foram gradeados provavelmente para evitar acidentes com crianças.

Jardins do marina clube
Jardins do Burle Marx com vegetação aquática- Foto: Helena Schanzer

jardins

 

Jardins do Burle marina clube
Jardins do Burle Marx no Marina clube no Rio – Foto: Helena Schanzer

 

 

Galeria de fotos  – Helena Schanzer

Siga o Blog jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook:  https://www.facebook.com/jardimdehelena/

Instagram: http://instagram.com/helenaschanzer

https://twitter.com/helena_schanzer

Passear no Jardim de Monet na França é uma inspiração

Os jardins e a casa do artista francês Claude Monet estão localizados na cidade de Giverny, a uma hora de viagem de Paris. O grande pintor, mestre do impressionismo, morou de 1883 até 1936 nesta casa e ao longo da vida cultivou e pintou os jardins inspiradores.  Monet tinha fascínio pelo jogo de luzes e reflexos das nuvens, das plantas e das flores sobre a água e retratava isto em suas pinturas.

La_Maison_vue_du_Clos_Normand
Casa do Monet – http://www.fondation-monet.com/fr/giverny – Divulgação

A casa e o jardim de Monet estavam abandonados e estragados. Então, nos anos 1980, uma senhora doou 1 milhão de dólares para restaurar tudo. Recuperaram a casa e os jardins e transformaram em museu. Nesta casa grande cor de rosa, Monet viveu com a esposa e seus 8 filhos. O lago criado por Monet no seu jardim e a ponte japonesa formam um dos cenários mais bonitos e bucólicos. Monet adorava retratar este lago com ninféias nos seus quadros. Ninféias são flores aquáticas com folhas grandes que boiam sobre a água, como as que se pode ver na foto abaixo.

Lago do jardim de Monet – flores aquáticas – Foto: Rejane Druck Magadan
caminho com capuchinhas - Tropaelum majus
Caminho com capuchinhas – Tropaelum majus Foto: Rejane Druck Magadan

 

Les Nympheas - restaurante e salão de chá - Foto: Rejane Druck Magadan
Les Nympheas – restaurante e salão de chá – Foto: Rejane Druck Magadan

Veja a galeria de fotos dos jardins de Monet em Giverny – Fotos: Rejane Druck Magadan

 

Veja o link da Fundação Monet em Paris:

http://www.fondation-monet.com/fr/giverny

 

Para saber mais sobre os Jardins do Monet, veja as dicas de livros:

– Para crianças ( e adultos também): Linéia no Jardim de Monet, de Christina Bjork & Lena Anderson, Editora Salamandra. 1992.

– Secrets of Monet’s Garden, Derek Fell. Editora Friedman/Fairfax Publishers, NY. 1997.

 

 

 

Parque Lage é um passeio pela mata tropical carioca

Um parque público legal de visitar no Rio de Janeiro é o Parque Lage. A vegetação tropical é exuberante e fascinante. Repleto de árvores de jaca e palmeiras imperiais que enfeitam os caminhos agradáveis de caminhar. No palacete localizado no parque tem uma cafeteria descolada para um descanso estratégico e também para apreciar a arquitetura do belo palacete da Escola de Artes Visuais. O Parque Lage fica aos pés do morro do Corcovado, na rua Jardim Botânico e ocupa uma área de 52 hectares.

Parque Lage no Rio de Janeiro -Palacete
Parque Lage no Rio de Janeiro -Palacete e morro do Corcovado ao fundo – Foto: Helena Schanzer

O Parque Lage foi tombado em 1957 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) como patrimônio histórico e cultural da cidade do Rio de Janeiro. Uma caminhada pelas trilhas do Parque oportuniza a vista de diversos  recantos com muita vegetação.  Até  micos transitam pelas árvores do parque! 

Fruto Jaca
Fruto Jaca pendurado na árvore jaqueira – Foto: Helena Schanzer

O Parque Lage era uma fazenda do industrial Henrique Lage, contava inclusive com engenho-de-açúcar. O paisagista inglês John Tyndale que reprojetou a fazenda em 1840 inspirado nos parques ingleses. O casarão foi projetado pelo arquiteto italiano Mario Vodrel em 1920. Em meados de 1960, após trocar várias vezes de donos, á área foi transformada em parque público. Desde 2004, o Parque Lage é parte do Parque Nacional da Tijuca, sob a administração do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

 

 Passeio pelo Parque Lage – Galeria de fotos  de Helena Schanzer:

 

Veja mais Parques em:

Nova Iorque:  Central Park   Parque High Line    High Line no verão

Califórnia:  Golden Gate Parque, São Francisco

Espanha:  Parque Maria Luisa em Sevilha

Brasil: Parque Esportivo da PUCRS – Porto Alegre

 

 

Conheça um jardim japonês com casa de chá em São Francisco, na Califórnia

Este jardim com casa de chá japonês é o mais antigo jardim japonês público nos Estados Unidos localizado dentro do Golden Gate Parque, em São Francisco, Califórnia. O jardim com casa de chá japonês oferece aos visitantes a oportunidade de experimentar a beleza natural, a tranquilidade e a harmonia de um jardim de estilo japonês no coração do Parque e a tradicional cerimônia do chá. Chama-se originalmente de Japanese Tea Garden.

jardim japones com casa de chás
Jardim japones com casa de chás Foto: Reprodução Helena Schanzer

O jardim foi criado para uma exposição  de uma “Vila Japonesa” para a Exposição Internacional  Midwinter na Califórnia em 1894.  O criador do jardim, o  japonês Makoto Hagiwara, arquiteto paisagista, se tornou zelador da propriedade, dedicando toda a sua riqueza pessoal, paixão e talento criativo para criar um jardim de extrema perfeição. Hoje, o jardim de chá japonês permanece como uma das atrações mais populares em São Francisco, com elementos clássicos, como uma ponte arqueada, pagodes, lanternas e caminhos de pedra, plantas japonesas nativas, lagos de carpas e um jardim zen.

flor cerejeira Sakura
flor cerejeira Sakura Foto: Pixabay

Hagiwara expandiu o jardim ao seu tamanho atual de aproximadamente 5 hectares, onde ele e sua família viveram por muitos anos até 1942 quando, juntamente com cerca de 120 mil nipo-americanos, foram forçados a evacuar suas casas e se mudar para campos de internamento. Quando a guerra terminou, a família Hagiwara não foi autorizada a regressar a sua casa, no jardim de chá e nos anos seguintes, muitos tesouros de família Hagiwara foram removidos e acréscimos foram feitos.  Hoje, o jardim de chá japonês permanece como uma das atrações mais populares em São Francisco.

 Saiba mais em  http://japaneseteagardensf.com/